[CURIOSIDADE] Desmistificando tradições: Por que a noiva usa bouquet?

Existem tantos hábitos e tradições que repetimos com frequência em nossas vidas, no automático, porque “sempre foi assim” e deve continuar. Mas, ao menos uma vez, você já deve ter parado para pensar em algo que faz sempre mas não sabe como ou quem começou a fazer. Linha de raciocínio confusa, não? Que tal um exemplo mais prático? Vamos falar de casamento…

O que não pode faltar num casamento formal? Provavelmente vocês dirão os noivos. Okay, deixando o óbvio de lado, vamos aos detalhes: tem a noiva com seu belo vestido branco, que simboliza sua pureza e castidade; as famílias reunidas para comemorar; o padre para dar a benção; e, ah, sim, o bouquet ou buquê (caso as mentes sujas leiam e prefiram não fazer a associação). Mas, por que mesmo as noivas usam bouquet?

Séculos atrás, não era costume que se tomasse tanto banho. Mesmo hoje, nos países europeus, tomar banho todos os dias não é algo tão comum. Esse asseio todo que se tem no Brasil se dá por causa da raiz indígena do país Amém, Senhor, Aleluia.

Pois bem, além de não ser hábito o banho diário, houve um tempo em que apenas a nobreza podia se dar ao luxo de mais de um banho por ano. Logo, os camponeses davam o seu jeitinho para disfarçar o mau odor.

O buquê de noiva surgiu justamente no intuito de amenizar o mau cheiro das moças pobres num dia tão especial. Claro, depois cada cultura foi agregando um simbolismo diferente, até ficar no formato que conhecemos hoje.

As noivas romanas, por exemplo, usavam ervas aromáticas em seus buquês. Elas acreditavam que espantaria os maus espíritos. Um tempo depois as ervas foram trocadas por flores, símbolo de fertilidade. A partir do século 14, na França, a noiva passou a jogar o buquê às convidadas.

Nota da editora: Eu sinceramente não sei se estou com mais pena do noivo ou da noiva depois disso.