[CONTO] Existopia

Fotografia | Joismar Antônio

Fotografia | Joismar Antônio

O grande guerreiro Azedo lutava contra um monstro assustador de quatro metros. Ao decepar seu braço, a criatura enfurecida correu mais rápido em direção a ele, e ao se aproximar o atacou audaciosamente, ferindo o bravo guerreiro Azedo em seu rosto, e quase arrancando seus olhos. Foi quando ela paralisou e caiu para trás, com a espada do oponente cravada em seu peito.

O guerreiro Azedo ofegava, estava assustado. Respirando fortemente, sentou-se no chão ao lado do cadáver.

– Sabe, podíamos ser amigos – começou a dialogar com o monstro ali caído.

– Tudo bem que você atacou minha vila, e não quis me dar ouvidos quando tentei falar com você. Mas se vocês fossem um pouquinho racionais, eu poderia te devolver para sua família. Mas aí eles me atacariam, e continuariam sendo hostis. Será que existe um jeito de mudar a natureza de vocês? Fazer com que, de alguma forma, possam não querer atacar o que veem pela frente? – Entoou o jovem guerreiro para a morte e a natureza ao seu redor.

O grande guerreiro Azedo viajou mundos, atravessou céus, e cruzou vales para encontrar o homem mais sábio que já existira. Ele havia sido isolado das outras pessoas por portar objetos estranhos que ele chamava de livros. Todos acreditavam que aquilo traria o caos para a existência, pois possuía os mais perigosos segredos.

– Oh grande sábio, estaria em teus instrumentos o segredo para mudar a natureza daqueles que não possuem racionalidade e compreensão, e são hostis para com os demais seres? – Perguntou o guerreiro Azedo, após encontrar o grande sábio exilado.

– Não se pode mudar, pois a natureza deles já foi mudada – Respondeu o sábio.

– Então eles perderam a compreensão?

– Certamente. Eram criaturas como você. Porém, tomando as atitudes erradas, começaram a se tornar monstros pouco a pouco, até perderem totalmente a compreensão.

– Não existe nenhum modo de devolvê-los o que foi perdido?

– Não contra a vontade dos mesmos. Teriam eles próprios de querer mudar.