[CONSPIRAÇÕES] A história real por trás da fantasia de V for Vendetta

Nerds e não nerds conhecem o filme V de Vingança, ou V for Vendetta (detesto os nomes brasileiros para filmes estrangeiros).

Mas será que todo mundo sabe as origens e influências da Graphic Novel de Alan Moore e David Lloyd que tomou as telas dos cinemas?

20130509-202534.jpgVamos por partes, para entender melhor a complexidade de V…

You can call me V

No filme (não trataremos dele, predominantemente, mas da história real), nosso protagonista se autointitula V.

20130509-204206.jpgNão sabemos o nome real de V durante a película. Menos ainda sabem as pessoas que assistem ao filme sobre as influências que este sofreu de um personagem real e importante na história.

Seu nome era Guy Fawkes.

20130509-210553.jpgSe você já sabia, pule para o próximo tópico.

20130509-210658.jpgMas, pra você que não sabe, Guy Fawkes existiu, tendo nascido na cidade de Iorque na Inglaterra no ano de 1570. Guy foi um revolucionário e molde para V.

A conspiração da pólvora

Guy Fawkes foi um soldado inglês católico que teve participação na frustrada “Conspiração da pólvora”, que tinha como intento assassinar o rei protestante Jaime I da Inglaterra e todos os membros do parlamento durante uma sessão em 1605, objetivando o início de um levante católico. Guy Fawkes era o responsável por guardar os barris de pólvora que seriam utilizados para explodir o Parlamento do Reino Unido durante a sessão.

20130509-213005.jpg

Da mesma forma, no filme, V promove uma verdadeira algazarra de pólvora.

guy_fawkes_night_2007

Talvez essa cena do filme – que se passa em um futuro distópico – tenha sido uma forma de concretizar a noite da pólvora que, em realidade, jamais ocorreu.

Fawkes, o verdadeiro conspirador, fora preso antes que pudesse fazer qualquer coisa.

guy-fawkes-arrestDepois de capturado, Fawkes e os demais conspiradores foram condenados a serem estripados e esquartejados antes da morte por decapitação. Em um último ato de desafio antes de ser conduzido ao local de execução, Fawkes conseguiu se desvencilhar dos guardas e pular de uma escada, quebrando o pescoço e evitando assim a tortura (isso sim é um rebelde que se preze). Lembremos que no filme V também se entrega a um sacrifício em nome de sua rebeldia.

O corpo de Fawkes foi esquartejado e exposto publicamente junto com o dos outros conspiradores.

Ainda nos dias de hoje o rei ou rainha vai até o parlamento apenas uma vez ao ano para uma sessão especial, sendo mantida a tradição de se revistar os subterrâneos do prédio, antes da sessão.

Uma tradição sardônica dá a Fawkes o título de ser “o único homem que entrou no parlamento com intenções honestas”.

Na Inglaterra até hoje existe a tradição de celebrar no dia 5 de novembro a Noite das Fogueiras. Nesta noite, bonecos com a imagem de Fawkes são desfilados nas ruas, agredidos, despedaçados e por fim queimados.

Uma rima tradicional foi criada em alusão à Conspiração da Pólvora:

“Remember, remember, the 5th of November
The gunpowder, treason and plot;
I know of no reason, why the gunpowder treason
Should ever be forgot.”

20130509-215512.jpg

Um rosto, um ideal e a cara da rebeldia

20130509-215617.jpgFawkes foi morto, mas a ideia que implantou de rebeldia, de não se calar perante aquilo que é errado, foi tão forte que não apenas seu nome atravessou gerações, mas suas ideias e… Seu rosto.

20130509-220744.jpgNão se podem matar ideias, ou ideais. Apenas a carne pode morrer.

Fawkes provou que isso é a mais pura verdade.

Estampado no rosto dos revolucionários da web

20130509-221328.jpgPendurados em paredes, estampados em tatuagens e camisas… As máscaras que expressam o valor de V, ou Guy Fawkes vão além de um modismo. Provam a força da ideia.

20130509-221555.jpg


Leia V for Vendetta!

Assista V de Vingança!

7 thoughts on “[CONSPIRAÇÕES] A história real por trás da fantasia de V for Vendetta

  1. Olhando em retrospectiva, não é irônico que um cara que quis explodir o governo porque ele não era tradicional e conservador o suficiente ser símbolo de revolução? É tipo daqui a duzentos anos o Bolsonaro ser símbolo de liberdade e direitos humanos básicos.

Comments are closed.