[CINEMA] TAU – O Novo e Misterioso filme da Netflix.

Um amigo e colaborador esporádico do site indicou-me TAU.
Fiquei desesperada para ver, pois é inegável que o filme seduz desde a sua sinopse.
A premissa é genial.

O longa é um paradoxo entre a relação de uma jovem com a tecnologia, onde o convívio dos dois acaba gerando um elo afetivo e de amizade, confrontando a racionalidade e partindo para o lado sentimental – sic – da máquina.
Sim, caro nerd, há um gostinho muito forte de Black Mirror logo no início do longa.

Alex (Ed Skrein, o Daario Naharis de Game of Thrones) cuja profundidade também para por aí. Ele é um cientista muito famoso (e o filme mostra isso não só pela mansão em que vive, mas pelas capas de revistas que ele estampa). Fora isso, ele é completamente psicótico, tem uma casa completamente tecnológica e fará de tudo para conseguir completar sua pesquisa.

E…

É isso.

Eu sei, vocês esperavam mais desse artigo.
eu também esperava poder dizer mais. Mas quando a adrenalina começa a subir, parece muito que o filme é entregue sem dó e nem piedade a Michael Bay.
Só que bêbado. Não vou dar Spoilers porque acho justo você poder ter seu próprio entendimento do longa, mas aviso que é melhor abaixar MUITO suas expectativas.
Um filme que PODERIA ter trabalhado o conceito de Singularidade, Chacrkras, Inteligência Artificial no domínio da Mente, transferência de Consciência, Eugenia, Pontos Energéticos e etc, coloca um elemento do melhor estilo Michael Bay sem dinheiro.

Netflix, você me decepcionou.


Raquel Pinheiro (Raposinha) é míope profissional, CANCERIANA, redatora, revisora, tradutora, escritora, professora de língua inglesa, viciada em café e artista plástica. Além disso é troll nas horas vagas e é viciada em cheirar livros.