[CINEMA] STAR WARS: Qual a melhor ordem para assistir os filmes? (Machete order)

machete order

por Cilon Mello

Então saiu outro teaser do episódio VII de Star Wars e o mundo comemora, vibra e pesquisa formas cientificamente apuradas de fazer o Harrison Ford viver para sempre. Entretanto, existem entre nós aqueles que nunca assistiram Star Wars, e é seu dever cívico como nerd apresentar a franquia a essas almas perdidas, ou mesmo assistir de novo, porque, na boa, Star Wars é muito legal (até quando não é).

O que nos leva à grande questão: qual a melhor ordem para assistir os filmes? Ora, existem duas opções neste campo, que são a ordem de lançamento (os episódios IV, V e VI primeiro), e a ordem da história mesmo (episódios I, II e III primeiro). O problema é que nenhuma delas é realmente otimizada em questões de narrativa ou spoilers, mas nada tema meu jovem padawan!, pois a internet está aqui para salvá-lo de seu dilema moral.

Resulta disso que rola na internet um sistema chamado “Machete order”, e vamos falar sobre isso hoje.

E A MELHOR ORDEM PARA ASSISTIR STAR WARS É…

IV → V → II → III → VI → I

Agora que você já sabe, pode ir assistir, e apenas me agradeça depois. Meu trabalho aqui está feito.

Hm… vejo que você ainda está por aqui. Medo muito eu sinto em você, então imagino que alguma explicação se faça necessária. Ok, vamos lá…

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=R_bzC1IslxY]

Episódios IV e V: George Lucas os escreveu justamente para poder começar a história pela metade, e adivinha só: funcionou! Bastante. Nós nem estaríamos tendo essa conversa se não tivesse funcionado. Não tem porque mexer nisso, comece como toda humanidade começou, e isso não tem erro.

Ao final do episódio V, no entanto, Darth Vader revela que é o pai de Luke – um dos grandes plot twists do cinema – e é aqui que inserimos uma alteração para absorver melhor o impacto da notícia. Logo você vai entender porque.

darth vader nasceEpisódios II e III: Depois da grande revelação da família Skywalker, os dois próximos filmes contam a história de como Anakin se tornou um dos maiores vilões da história do cinema. Esse modo não só reforça o impacto da revelação, como adiciona outro: o imperador.

Em um holograma do episódio V é visto que mesmo Darth Vader possui um superior e que responde a ele, mas quem é esse tal “Imperador”? Quem poderia ser tão foda, que até o megamítico Darth Vader baixa a cabeça pra ele?

Assistindo o episódio I, fica bem óbvio que Palpatine se tornará o imperador, mas sem esse episódio as referencias são muito mais sutis, e fica mais impressionante o golpe de Darth Sidious – do tipo “puta que pariu, era esse cara o tempo todo!”. Até porque, mesmo com todos os defeitos que George Lucas tem, principalmente na nova trilogia, temos que concordar que o plano do Imperador para subir ao poder é brilhante.

Outra coisa que funciona melhor assim é a revelação de que Luke e Leia são irmãos – quando Padmé dá nome aos filhos antes de morrer, é muito mais cuspidor de água do que a cena no episódio VI em que Luke conta a Leia. Todo mundo sabe que o primeiro filho de Padmé e Anakin vai se chamar Luke, mas quando ela diz que a outra criança se chama Leia, é muito “UAT?!?!”.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=sUaTJCgi6_o]

A essa altura você já tinha assimilado que eles tinham se beijado e então BADOOM!

it's a trapEpisódio VI: A melhor coisa dessa ordem é que ela deixa o episódio VI muito, mas muito mais legal. Sendo que muitos consideram esse o episódio mais fraco da trilogia clássica, toda ajuda é bem vinda.

Depois de assistir os episódios II e III, quando você vê Luke todo de preto, enforcando pessoas com a Força, e dizendo para Jabba não subestimar seu poder ou será destruído, a mensagem é muito clara: Luke está seguindo o caminho de Anakin e indo para o lado negro. A ideia do filme já era essa, mas os episódios II e III dão mais força a isso de que Luke está seguindo os mesmos passos do pai (inclusive com as mesmas intenções: proteger aqueles que ele ama).

Lembre-se, por exemplo, que Anakin assumiu seu lado Sith quando cortou o braço do Mace Windu, e causou sua morte, e rancores me mordam!, não é exatamente a mesma coisa que Luke faz com Darth Vader? São várias referencias que, assistidas desta forma, são amplificadas, e dão muito mais peso e consistência ao filme, e leva ao final apoteótico da saga de Anakin Skywalker, que agora conhecemos do começo ao fim. Toda cena com o Imperador e Darth Vader ganha um espectro totalmente novo, mais profundo.

Quando o fantasma de Anakin aparece no final do episódio VI (provavelmente você estará vendo a versão com acréscimos) fica até legal. Neste mesmo sentido, aparece na edição atualizada do episódio VI vários lugares comemorando a queda do imperador, como Naboo e Coruscant, que de outra forma não teriam aparecido na série ainda.

Bônus: Episódio I – Depois de tudo dito e feito, ainda existe mais uma coisa de Star Wars para assistir, e acredite: o episódio I funciona muito melhor como um “extra”, do que como a fundação de toda saga.

qui gon jinn obi wan kenobiPara começar, nenhum personagem apresentado no episódio I tem muita relevância na série: Qui Gon morre e só é mencionado duas vezes (todas auto-explicativas); Darth Maul nunca mais é sequer mencionado; e Jar Jar Binks só tem mais 5 falas na série toda (e pode passar perfeitamente por “só mais um alien estranho” de Star Wars). Mas, mais importante que isso, todas as premissas mostradas neste filme são confusas ou enfraquecem os personagens.

Ninguém ganha nada com a rainha que ama a democracia (hein?) e sua dublê, muito menos a coisa que ela não envelheceu uma única célula enquanto Anakin cresceu e se tornou adulto. Como eles parecem ter a mesma idade no episódio II em diante, a única menção é que “o garotinho que eu conheci em Tatooine” dá a entender que eles se conheceram crianças, e a relação deles funciona melhor e menos confusa dessa forma.

Outra coisa que funciona melhor é que Anakin é mostrado já como um jovem bem intencionado, porém confuso (exatamente como Luke no episódio IV). Daí ele evoluí para Darth Vader, cedendo ao lado negro gradualmente, agora o garotinho fofo que diz “mommy” não contribui em nada para o personagem. Depois que a série termina, ver que originalmente Anakin era, de fato, a principio, um garotinho fofo não estraga a imagem de Darth Vader, e só contribui para o mito do “lado negro”.

Como já mencionado, a identidade do Imperador ser mantida em segredo é um bônus, e toda treta da Federação de Comércio é desnecessária, podemos apenas partir do suposto que alguns sistemas querem deixar a República, como é dito no episódio II. Basta saber que eles querem independência, algo próprio da natureza humana, os motivos não são importantes para a história.

Adicionalmente, as revelações do episódio I, que são inócuas, acabam ganhando força. Fica muito mais legal saber, só no final, que foi Anakin que construiu o C3PO, e que os Sith têm esse fetiche estranho por ter que ter um aprendiz, que no fim foi o que causou a ruína do Imperador (isso já fica implícito durante a série, e funciona melhor desta forma).

Por fim, o filme não é tão desprezível quanto todo mundo diz, e é até agradável se assistido sem responsabilidade nenhuma – ainda mais a responsabilidade de ser a fundação de uma das maiores franquias do mundo. A corrida de pod e a luta contra Darth Maul não levam a lugar nenhum na história, mas são legais, e o fato da série se contradizer (não foi Yoda que treinou Obi-Wan, ao contrário do que o seu fantasma diz) fica menos relevante.

A “profecia” nunca é mencionada diretamente fora do episódio I, mas é referenciada, e ela fica mais misteriosa – o que serve aos propósitos de uma profecia – e sabe-se que Anakin é, de alguma forma, “o escolhido”, mas não fica muito claro o que isso significa. Novamente, serve aos propósitos da profecia melhor ainda.

Adicionalmente, temos neste filme uma das melhores falas de Yoda na série toda, e seria uma pena deixá-la de fora. Sério caras, o filme não é TÃO ruim assim, ele fica muito pior por causa das expectativas que se jogou nas costas dele.

fear anger hate suffering

“O medo é o caminho para o lado negro. O medo leva a raiva, a raiva leva ao ódio, o ódio leva ao sofrimento.”

E se mais nada, Star Wars fecha com uma batalha ao som de Duel of Fates do mestre John Williams. Um fim digníssimo para uma grande saga.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=J1gH_cjdb60]


Compre aqui a saga completa!


Já tem os encadernados de Star Wars já lançados no Brasil pela Panini Comics? Compre-os abaixo com desconto:


Aproveite também pra completar sua coleção de livros de Star Wars lançados no Brasil:



4 thoughts on “[CINEMA] STAR WARS: Qual a melhor ordem para assistir os filmes? (Machete order)

  1. Aches super interessante! Quisera eu ter visto nessa sequência.
    Só uma coisa me intrigou em todo o texto. A Padamé era uma rainha eletiva ou seja ela era votada.
    Segundo as monarquias parlamentares no mundo Hoje são extremamente democráticas. Aliás 7 dos 10 mais democráticos do mundo são monarquias. Então vcs deviam reconsiderar o (hein?) 😉
    Abraços

    • De fato existem várias formas que uma monarquia pode ser democrática, mas a brincadeira é que quando voce fala em “Rainha” essa não é a primeira coisa que vem a mente.
      Obrigado pelo comentário 🙂

  2. eu discordo quando diz que a treta com a federação foi desnecessária, ate pq palpatine usa o ataque da federação como uma forma de se torna chanceler e aumentar sua influencia politica, e se não me engano padme era adolescente no primeiro filme, ficaria mais estranho era se a padme envelhece bastante, eu gostei do episodio 1, sinceramente gostei mais do episodio 1 que do episodio VI( achei aquela batalha dos ewok contra as tropas imperiais bem ridícula) e assistindo o episodio 1 antes a passagem de anakin pra o lado negro não parece ser forçada, ganha uma certa logica já que o conselho mostra uma certa desconfiança em treina-lo e é ai que o yoda diz “O medo é o caminho para o lado negro. O medo leva a raiva, a raiva leva ao ódio, o ódio leva ao sofrimento.”

  3. o que achei estranho no episodio 1 foi aquela historia de anakin não ter pai, deixando implicito que a força fez a mae dele ficar gravida

Comments are closed.