[CINEMA] RETROSPECTIVA dos filmes de herói em 2016

2016 foi um ano tão ruim que fazer uma retrospectiva dele deve logo configurar na lista de crimes contra a humanidade. Mas será que foi assim para os heróis de colant no cinema também? Me acompanhem nesta jornada de retrospectiva (e potencialmente dor) para ver o que de melhor e de pior aconteceu para os nerds na tela grande neste ano que está terminando!

DEADPOOL (Fox): Oh boy, eu não disse que 2016 foi um ano difícil? Pois é… Ma bene, eu sei que você deve ter suas opiniões bastante apaixonadas sobre esse filme, e não é em um parágrafo que eu vou iniciar essa discussão. Vamos apenas dizer que você provavelmente discorda de mim sobre esse filme, então, por hora, vamos apenas manter a amizade.

NOTA: ??/5 (aquela que o seu coração disser que merece =3)

BATMAN V SUPERMAN (DC/Warner): Eu gostaria de resumir esse filme citando uma frase do clássico imortal “Família Addams 2“, dita pelo não menos imortal Raúl Juliá:

Já vi o horror. Já vi criaturas profanas que se escondem nos recantos mais sombrios da alma. Mas o que eu nunca tinha visto em toda minha vida, meu amigo, foi você!”

Porque, sério, Zack Snyder é um estudo de caso. Ele pega os três maiores heróis do mundo, os coloca para enfrentar um monstro gigante e indestrutível, e o resultado final disso é… CHATO?! Santa putaquepariugogopowerrangers, Bátima! Não, sério, como ele conseguiu uma proeza dessas? Apenas, como?

NOTA: 1/5 (e olhe lá)
RESENHA: Leia aqui

CAPITÃO AMÉRICA 3: GUERRA CIVIL (Marvel/Disney): Já dizia o ditado que da onde menos se espera, daí mesmo que não sai nada. Exceto dessa vez. Me chamem de mais amargurado do que quem não curtiu Yuri on Ice, mas a verdade é que eu já to meio de saco cheio desse universo compartilhado dos filmes da Marvel. Uma participação especial até que é legal, mas quando os filmes deixam de ser filmes com começo, meio e fim para ser apenas o capítulo de meio de temporada de uma série… bom, taí algo que é menos do que legal, certo?

Por isso eu não esperava muita coisa de mais esse episódio da seriezinha de filmes deles. Não depois do Vingadores 2: A Era de “Vamos deixar o filme de lado e socar meia hora de trailer para os próximos filmes”.

Surpreendentemente, mais gente na Marvel parece pensar como eu. Guerra Civil é um filme com começo, meio e fim, olha só você! Não apenas isso, é uma excelente adaptação. E por excelente adaptação eu quero dizer que o filme não copia quadro por quadro os quadrinhos (cof *Watchmen* cof) e sim entende qual é o “espirito da coisa” e o coloca em uma realidade nova. ASSIM é que se faz.

NOTA: 4/5
RESENHA: Leia aqui, e uma comparação com BvS aqui

ESQUADRÃO SUICIDA (DC/Warner): Ok, eu vou ser bem sincero com vocês: Esquadrão Suicida não é um bom filme. A edição é uma desgraça, a trilha sonora parece que deram Guardiões da Galáxia na mão de uma criança de 5 anos de idade com overdose de açúcar e disseram “faz igual” – e o Coringa merece um post à parte explicando o que deu errado (resumidamente, eles tentaram morder mais do que nossa sociedade quer ver no cinema, mas explico isso outra hora).

Dito isso, eu me diverti assistindo esse filme ruim. Muito principalmente por causa dos atores. O que falta de qualidade na direção do filme sobra de carisma na galere que tá lá só pra morrer. Não é bom, mas é divertido. Acho que vale, não?

NOTA: 3/5
RESENHA: Leia aqui

X-MEN: APOCALIPSE (Fox): Sejamos honestos: os filmes dos X-Men são feitos por um algoritmo da Fox. Eu duvido muito que ainda tenha um ser humano envolvido na produção desses filmes, eles só jogam lá palavras-chave e o computador renderiza qualquer coisa (no caso, colocaram o nome da Jennifer Lawrence quinze vezes a mais do que qualquer outra palavra). Só isso explica. Não é ruim, apenas não é bom também.

Ah, well, ao menos a cena do Mercúrio é legal. Yay.
NOTA: 2/5

DOUTOR ESTRANHO (Marvel/Disney): Falando em filmes feitos por um algoritmo… quer dizer, ao menos nós sabemos que tem algum ser humano envolvido por causa dos efeitos visuais espetaculares, e porque o Benedict Cumberbatch delivers. Mas fora esses dois fatores, se você jogar os filmes da Marvel em um computador e pedir para ele analisar, o resultado que ele vai te cuspir de volta é exatamente Doutor Estranho. Salvo uma ou outra cena.

Tá certo que em time que tá ganhando não se mexe, mas ao menos vocês ainda podiam fingir que se importam? Nem é que o filme seja ruim, ele é ok. Só que “apenas ok” quando você tem apenas os LIMITES DA IMAGINAÇÃO HUMANA para trabalhar é meio frustrante, sabe?

NOTA: 3/5
RESENHA: Leia aqui

E, ufa!, agora essa nhaca de ano vai embora, viu…