[CINEMA] O fantástico legado da doutora Fisher.

carriefisher_v2-0000119Pangaláctico leitor, eu vou descrever uma situação e você me diz se ela lhe é familiar de alguma forma: quantas vezes já aconteceu de você estar assistindo um filme e, de repente, sem nem beijinho antes, leva na cara um buraco de roteiro, mal desenvolvimento de personagem, ou apenas mau gosto do tamanho do PIB da Noruega?

Sabe, momentos em que você para e se pergunta: por que não teve um único cristão que pegou o roteiro e LEU A JOÇA antes de começarem a filmar? Alguém que dissesse aos caras que a cena da “Martha” ficou ridícula; que toda tripulação da Prometheus é inconvincentemente imbecil; ou que não vai funcionar um filme de super-herói com um vilão que tenha uma única fala (por melhor que o ator seja, e ele é).

Enfim, você nunca se perguntou por que não existe alguém assim? A resposta é: existe. Em Hollywood isso é chamado de “script doctor”, que é justamente isso: alguém de fora que pega o roteiro pronto e aponta falhas, pontos que podem ser melhorados, e cenas (ou personagens) inteiras que precisam ser refeitas. Como um médico de verdade, ele aponta problemas e sugere soluções. Às vezes é preciso apenas tomar um comprimido, às vezes é necessário meter a faca em quase tudo.

E é aqui que entra a figura de uma das mentes mais sagazes na indústria do roteiro: a saudosa Carrie Fisher. Ela começou sugerindo alterações de cenas e diálogos a George Lucas ainda em Star Wars IV, e Hollywood percebeu que tinha um filão a ser explorado aí.

c0ekyvnveaqlqd9

A doutora Fisher adicionando awesomeness ao roteiro de Star Wars V. Doutora mesmo, porque o letrinha, viu…

Então você pode estar se perguntando o quão foda a princesa que salvava a si mesma era salvando roteiros? Vamos ver alguns exemplos de filmes em que ela deu uma guaribada final e você me diz se ela era boa ou não:

– Mudança de hábito
– O Cantor de Casamentos (eu sei que nós somos evolutivamente programados para odiar o Adam Sandler, mas, sério, dê uma chance, porque o filme é muito divertido)
– The Blues Brothers
– Hook – A volta do capitão gancho
– Máquina Mortífera 3
– O Último Grande Herói
– Epidemia
– Sr. e Sra. Smith
– Pânico 3

O problema é que o script doctor não é creditado em filmes, e muitas vezes sequer é creditado financeiramente também. Fisher descreveu essa época, em uma entrevista a Newsweek em 2008, como “um episódio longo e muito lucrativo da minha vida”, mas eventualmente ela parou de fazer isso, porque, segundo ela, “Agora tudo mudou, na verdade. Agora, para conseguir um emprego de reescritor, você tem que enviar suas ideias de como consertar o roteiro. Então eles pegam todas as notas de escritores diferentes, usam e não te contratam. Isso é trabalhar de graça ou o que eu sempre chamei de “eventos de desperdício de vida“””.

Então, basicamente, temos a dancinha da Globeleza em Esquadrão Suicida porque Hollywood ficou gananciosa demais. Que coisa, não?

Carrie ainda deixou um conselho para os escritores querendo emplacar em Hollywood: “Façam as mulheres mais inteligentes e as cenas românticas melhores”. Esse é um grande legado a ser deixado, se querem saber a minha opinião.

E o especial de Natal de Star Wars, que é outro grande legado a ter sido deixado. Mas por outros motivos…

Ah sim, ela também prestou sua consultoria como script doctor ao seu velho amigo George Lucas para os episódios I e II de Star Wars (mas supostamente não o III, o que explicaria a Padme subitamente ter se tornado tão retardada no último filme). O que prova que existem alguns pacientes que nem mesmo o melhor médico do mundo pode salvar.

Deixe uma resposta