[CINEMA] O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS [Crítica]

TERMINATOR GENISYS T800 SKULL

Vou comentar aqui apenas o que foi relevante. Minha expectativa era de quase zero %. Essa salada agridoce preparada por Alan Taylor causou ao meu paladar uma impressão similar degustada em Jurassic World: uma homenagem aos primórdios de uma franquia, porém sem o mesmo brilho de outrora. Um exemplo disso foi a refilmagem de uma seqüência inicial do primeiro longa-metragem lançado em 1984, onde utilizaram recursos extraordinários de CGI para recriarem a figura ameaçadora de Arnold Schwarzenegger no auge de sua forma.

TERMINATOR GENISYS DIAGRAM

Apesar de terem repensado certos conceitos sobre as variáveis de uma viagem temporal como justificativa para guiar os acontecimentos, não consegui me conectar com o resultado final. O personagem de Matt Smith foi pouco divulgado, pois queriam manter alguns detalhes cruciais sobre a trama em sigilo. Mesmo que todo esse suspense tenha servido para que o excelente primata Jason Clarke pudesse interpretar um John Connor mais zureta, o potencial dessa cartada foi desperdiçado. Emilia Clarke continua evoluindo, artisticamente e anatomicamente, mas acabou prejudicada por seu script e por sua linha temporal.

Creio que isso tudo tenha acontecido não somente por conta da maneira como os filmes estão sendo concebidos e divulgados ultimamente, mas sobretudo por culpa da minha própria percepção. Os teasers e trailers que antecederam a estréia prejudicaram demais não só a experiência do público vetusto como também a da molecada que sequer conhece o Dia do Julgamento dirigido por James Cameron. Poderia ter escolhido evitar as propagandas. Penso que, se tivesse feito isso, teria me surpreendido muito mais.

Assistir ao velho T800 usando uma soqueira para sair na porrada contra um T3000 com regeneração acelerada valeu meu dinheiro, mas temo que, no fim dessa história, apesar de toda a ousadia que tentaram infiltrar através de resoluções e reviravoltas emocionais, os roteiristas ultrapassaram uma linha perigosa que pode ter descaracterizado a essência de um dos mais icônicos personagens da sétima arte.

Mas quanto vale a opinião de um velho que precisa se atualizar? Acredito que essa é uma questão que pode ser destilada como um alerta aos profissionais dessa indústria e aos expectadores que a consomem.

TERMINATOR GENISYS T800 YELLOW SMILE

Um sorriso amarelo e forçado. Essa é uma síntese mais honesta.

I'LL BE BACK!

I’LL BE BACK!

Relembre os filmes anteriores comprando a quadrilogia completa, e revisite o clássico de 1984 com a novelização lançada pela DarkSide.

3 thoughts on “[CINEMA] O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS [Crítica]

    • Tens toda razão. A magia realmente acabou. Pelo menos nesse caso. Por isso esse post foi resumido. Se quiser, pode contar as letrinhas e compará-las com as críticas dos outros, que são muito melhores e bem mais extensas. E se conseguir agüentar todas as incongruências desse filme sem sair da sala de cinema, te mandarei um action figure do Bat-Transformer do Scott Snyder de presente. Hahaha! Até a próxima.

  1. SÓ PRA CONCLUIR, DEFINIÇÃO DE MAGIA DO CINEMA:NO CINEMA DARTH VADER DIZ: “OBI-WAN DISSE O QUE ACONTECEU COM SEU PAI? LUKE: SIM VC MATOU ELE…VADER: NÃOOOOO LUKE…EEEEEEEU SOU SEU PAI…LUKE: NÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOOO
    EU E MEU AMIGO COMIGO NO CINEMA: UM OLHANDO PRA CARA DO OUTRO SEM ENTENDER BOQUIABERTOS: EU DISSE: MAS QUE PORRA É ESSA CARA?

Comments are closed.