[CINEMA] MINIONS: o filme (resenha)

NAILED IT!

minions filme

 

Meus caros nerds e nerds, eis que numa segunda-feira vou assistir o filme dos Minions pensando ingenuamente que por ser dia útil os adultos estariam no trabalho e não poderiam levar seus pequenos ao cinema. Alerta. Sempre tem aquele parente desempregado que aparentemente leva todas as crianças do bairro. E você percebe que dentre tudo o que há na Bíblia, uma coisa os humanos levaram a sério “Multiplicai-vos e enchei a terra”. Não há ateísmo nesse quesito. Os minions também devem ter a mesma Bíblia.

Então, vamos a eles. Pegue seu macacão, suas botas, uma quantidade adequada de bananas/sorvete e vem comigo!

filme minions

O filme mostra a existência dos minions desde o início. Um breve plot da vida marinha em que eles já seguiam o mais forte, malvado…enquanto se desenvolviam, até que saíram do mar seguindo, provavelmente, o Tiktaalik (que realmente “foi um dos primeiros animais a se aventurar na terra firme” – Neil Tyson – Cosmos). Dá gosto ver filmes em que se preocupam com os detalhes. Enfim, eles saem junto com o Tiktaalik naquela animação minionesca. Até que…opa, novo chefe!

Só que como você já deve ter visto no trailer, os minions não são muito bons em manter seus patrões, na verdade, a rotatividade é impressionante. Sendo vilão, o melhor a fazer é sair correndo dessas fofuras amarelas. Mentira! É inútil resistir. Bem, eles conseguem a proeza de jogar o T-Rex em lava, depois no Egito Antigo conseguem derrubar a pirâmide na galera [aos que ainda tinham dúvida de quem construiu as pirâmides, já sabem!], na Idade das Trevas trabalham para o Drácula e num arroubo da animação de uma festa surpresa de 357 anos, matam o vampiro mestre também. 

Com tantas perdas, eles acabam indo morar numa caverna. Só que minions sem um vilão para servir tornam-se desmotivados e infelizes. Particularmente, eu também sentiria falta de matar alguém com certa regularidade. Então, Kevin tem a ideia de sair a procura do mais malvado e trazer para a caverna. Stuart [uma espécie de cantor latino sedutor] e Bob [um novinho bobo até para os padrões minionescos] vão junto.

minions filme

Somos deliciosos!

É 1968 – 42 A.G (antes de Gru). Chegando na cidade, eles ficam sabendo da Villain-Con, em Orlando, o maior evento que reúne vilões e maldade em um só lugar. Decidem ir e pegam carona com uma família de criminosos sem noção que no caminho para o evento assaltam um banco. Normal.

 

images (3)

Ok. Na Villain-Con, os três conhecem Scarlet Overkill, uma super vilã que lança um desafio de quem tirar uma joia de suas mãos, trabalhará para a sua delícia. As bananas acabam conseguindo, obviamente, na trapalhada e se vêem perante outro desafio que é o de roubar a coroa da rainha da Inglaterra para Scarlet. Quando vão pra Londres, normal três coisinhas amarelas andando por aí – os londrinos não se importam com muita coisa mesmo, quem assiste Doctor Who sabe [exceto ir pra Lua, aí é assustador – veja o episódio: Smith and Jones, 3ª temporada]. 

scarlet overkill

É tão bom ser má.

Na missão para roubar a coroa, as loucuras acontecem, desde policiais dançando de cueca e com cabelões gigantes a Bob tornar-se o rei da Inglaterra [eu disse que loucuras acontecem]. Scarlet não fica nada feliz com isso e parte para a vingança. Aí, começa um ponto que não gostei no filme – na primeira aparição da Scarlet, ela parece uma vilã forte e foda, só que no decorrer da história, ela se torna uma vilã patética vaidosa obcecada com a coroa porque quer ser “princesinha”. Ok, que fizeram isso para os minions se sobressaírem, afinal o filme é deles, mas podiam ter pensado melhor nessa parte. Deixar alguém ridículo é um modo de fazer outro se sobressair, mas não o único.

Enquanto isso, os minions que ficaram na caverna são visitados por brucutus peludos brancos gigantes e o sinal de “opa, mestre!” pisca. Quando Kevin, liga para avisar que encontrou uma vilã, eles dizem que já encontraram também, mas você já deve imaginar que isso não dura muito. É, nem o tempo da ligação terminar. Diante disso, os que haviam ficado, decidem partir também para onde estão os três, só que por uma leitura errada dos mapas vão para vários outros lugares – atenção para a cena deles dançando na Índia! Até que chegam em Londres no momento mais crítico do filme em que temos Kevin, Stuart e Bob enfrentando Scarlet Overkill e uma pá de outros vilões. Bacana, né?! Enfim, o resto fica para ser visto por você. Apenas, saiba que há um minion gigante e uma pequena participação do pequeno Gru no final.

minions filme

O que dizer?

O filme dos Minions é bom, porém não é a melhor animação já feita. Não espere excelentes piadas infinitas e rir a toda hora enquanto assiste. Porque não é sobre isso. Porém, temos uma história que faz sentido sendo contada com início, meio e fim [o que não dá para dizer o mesmo de Meu vizinho Totoro, por exemplo] e alguns momentos hilários – tem uma cena impagável do Kevin, Stuart e Bob sendo “torturados”. A linguagem do minions não é um problema. O entendimento ocorre bem. No mais, você certamente irá se divertir e ter bons momentos com essas coisinhas amarelas que gostaríamos de ter, ao menos, uma.

nota-3

 

Até a próxima!

 

2 thoughts on “[CINEMA] MINIONS: o filme (resenha)

  1. PE-PE-PERAÍ!!! Que menção enviesada foi esta de “Meu vizinho Totoro”?!! ¬¬

    Fora isto, apesar de não ter assistido, sua crítica confirmou o que eu já esperava de Minions: mais do mesmo sem grandes inovações, e diversão descompromissada pras crianças e os adultos, mas sem aquela pegada inteligente e emocional da Pixar.

    Foi até uma covardia eles estrearem duas semanas depois da última obra-prima da Pixar, que foi Divertida Mente. Difícil não compará-los.

    • Rodrigo, não me mate! Aliás, vi os dois filmes no mesmo dia. Crianças everywhere. De fato, Divertida mente tem uma pegada mais profunda. Minions já não se propõe a isso, até porque nem faz parte da personalidade deles esse tipo de coisa. A zoeira é infinita apenas. O filme tem uma mensagem discreta sobre amizade e união, no entanto. Sabendo quem é quem dá para se divertir em ambos.

Comments are closed.