[CINEMA] Melhores filmes originais Netflix dos últimos tempos

2017 foi o ano da Netflix, e em 2018 existe a promessa é de que não será diferente. A plataforma digital de streaming não só adquiriu os direitos de conteúdos cada vez mais novos, interessantes e diversos, como já tem uma gama de títulos originais, seja filmes, séries, documentários e outros gêneros. 

Dentre eles podemos citar os sucessos Stranger Things, Black Mirror, Orange is the New Black, House of Cards, Demolidor e o recente Justiceiro. As séries até podem ser as queridinhas do público, mas hoje vamos falar de alguns filmes independentes da plataforma, que merecem uma chance e valem o tempo investido. 

Um dos mais recentemente lançados, e cujos fãs da Netflix estavam com alta expectativa, é Bright, estrelado por Will Smith, que o divulgou largamente na última Comic Con Experience 2017 (CCXP) em São Paulo. Você pode conferir a avaliação completa aqui. Basicamente o longa é uma mistura de ação policial desenrolada em um mundo que se assemelha à Terra Média de Tolkien, só que nos dias atuais.

Sendo assim, Smith é Warren, um policial cujo parceiro é um orc renegado – e também alvo de bullying dentre os humanos da polícia de Los Angeles. Ambos acabam se envolvendo em uma trama onde devem proteger uma varinha mágica que pode ajudar a trazer o Senhor das Trevas de volta ao domínio. Incluindo elfos, fadas e outras criaturas mágicas na trama, além da perseguição e dos momentos de comédia, ela traz discussões bastante em pauta hoje em dia, sobre os rumos da sociedade atual, preconceito, divisão de classes e racismo.  

Embora não seja o foco do serviço, a Netflix em alguns países conta com documentários interessantes. É o caso de Kid Poker, documentário disponível na Netflix sobre a carreira do astro Daniel Negreanu, o profissional canadense seis vezes vencedor da World Series of Poker e duas do World Poker Tour.

Ainda no campo dos documentários e do esporte, Williams conta a história de uma das mais bem-sucedidas equipes de Fórmula 1 da história – batizada com o sobrenome de seu fundador, Frank Williams. Para quem gosta de corridas, é uma ótima pedida.

Onde Está Segunda foi outro filme lançado ano passado que envolve ficção científica. Mas este se passa em um futuro distópico em que as pessoas só podem ter um filho. De acordo com as políticas de controle da superpopulação, qualquer irmão deve ser congelado e aguardar um futuro mais propício. Nesta realidade, um grupo de sete gêmeas tenta sobreviver sem que sejam descobertas, para isso seu pai cria um esquema de que cada uma poderia sair apenas um dia na semana, aquele mesmo de seu nome.  

São sete mulheres diferentes – vividas pela talentosa Noomi Rapace, que inclusive estrela em Bright também – com personalidades completamente diversas entre si, vivendo sob uma única identidade. Claro que isso não poderia durar para sempre, e quando uma delas – a Segunda-Feira (Monday) – desaparece, todas se unem para tentar descobrir o paradeiro da irmã, mas acabam sendo descobertas e perseguidas por agentes oficiais. Apesar de não ter sido um dos melhores de crítica, o filme traz uma ideia interessante e sequências de ação muito bem-feitas. É uma luta pela sobrevivência do começo ao fim que mistura suspense e reviravoltas, e merece uma chance de ser assistido. 

Para finalizar com um filme premiado, Já Não Me Sinto Mais em Casa Nesse Mundo é mais uma comédia com toque de suspense que conta a história de Ruth (Melanie Lynskey, da série Two and a Half Men), uma mulher depressiva que está saturada com a forma como as pessoas se tratam e tem sua paciência colocada no limite após ter sua casa assaltada. A partir daí ela decide ir atrás dos responsáveis para tentar reaver a prataria de sua avó, que fora roubada, com a ajuda do vizinho deveras excêntrico e praticante de artes marciais, Tony (Elijah Wood, o eterno Frodo de O Senhor dos Anéis).

Vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Sundance 2017, o enredo se desenvolve com a dupla se aprofundando nas investigações e se envolvendo cada vez mais em complicações e perigos ao se deparar com um grupo de criminosos inescrupulosos. Além da ação, esse filme desperta uma reflexão a respeito das nossas relações interpessoais, e como nossas atitudes perante o outro influenciam e têm impacto em sua vida.

Essas são só algumas sugestões dentre as dezenas de lançamentos já no ar, e que ainda estão por vir em 2018 na Netflix. Ano passado tivemos ainda outros filmes incríveis como Okja, O Mínimo Para Viver, Wheelman, Jogo Perigoso, 1922 (baseado na obra de Stephen King), Os Meyerowitz e A Babá. E este ano promete com títulos como a comédia de ação Game Over, Man! e Cargo, estrelando Martin Freeman, nosso Hobbit e Watson preferidos. Então pegue a pipoca e fique ligado!

Deixe uma resposta