[CINEMA] Homem de Ferro: uma teoria sobre o futuro do herói nos cinemas

tony-stark-dying

Robert Downey Jr. foi o grande responsável por popularizar o Homem de Ferro graças à sua interpretação do herói para os cinemas, mas, segundo a teoria abaixo, seus dias como o Vingador Dourado podem estar contados.

É fato que Downey Jr. não interpretará para sempre o herói nos filmes do Marvel Studios, pelos seguintes fatores:

  1. O ator já está com 48 anos, o que significa que a cada novo filme ele tem mais dificuldades de manter-se em forma para interpretar o herói dos cinemas, que demanda certa preparação física para a captura de movimentos necessária para animar a versão digital do personagem quando em sua armadura.
  2. O contrato de Downey Jr. com o Marvel Studios prevê mais dois filmes dele como Tony Stark, sendo um deles Os Vingadores 2: A Era de Ultron, e possivelmente Vingadores 3.

Qual seria, portanto, a solução do Marvel Studios para contornar este futuro problema que terá com a possível perda do ator?

Antes de apresentar a teoria, formulada por Michael Doran, editor chefe do site Newsarama, é preciso listar alguns fatos confirmados a respeito da produção de Vingadores 2, além de alguns detalhes já revelados da trama do filme:

  1. Joss Whedon, diretor e roteirista do filme, já disse em entrevistas que um dos temas da sequência será “morte, morte e morte”.
  2. Numa entrevista que deu ano passado, Whedon disse, enigmaticamente, que a ameaça que os Vingadores enfrentarão em Era de Ultron será “eles mesmos”, pois “todos somos nossos piores inimigos.”
  3. Na reportagem da revista Entertainment Weekly, lançada esta semana, que revelou a primeira imagem de Ultron, é dito que o vilão é uma criação de Tony Stark, imaginada como “uma inteligência artificial auto-consciente e autodidata desenhada para avaliar ameaças e dirigir a Legião de Ferro de Stark”, formada por “drones de combate a malfeitores.”
  4. Outro tema do qual o filme tratará é de que “não existe renúncia no heroísmo.”

Dito isto, vamos à teoria:

Partindo das tramas deixadas em aberto no fim de Homem de Ferro 3, e do que já foi dito sobre Era de Ultron na reportagem da Entertainment Weekly, Tony Stark criou Ultron, um androide com inteligência artificial cuja tarefa é dividir com os Vingadores a defesa do planeta. Porém, logo ele torna-se consciente e conclui que a maior ameaça à Terra é a humanidade.

Isto bate com a ideia de que os Vingadores serão seus próprios inimigos, já que Tony será o “pai” da maior ameaça enfrentada pelo planeta. A culpa de Tony levaria o mesmo a sacrificar-se para salvar o mundo da ameaça que ele mesmo criou, dando sua vida para deter Ultron.

Sim, é isto mesmo que você leu, Tony Stark morrerá nas mãos de sua própria criação para salvar a Terra. Isto não apenas bate com outro tema com o qual o filme lidará, a morte, como será a força que unirá ainda mais a equipe para seu terceiro grande desafio, que virá sob a forma de Thanos, em Vingadores 3.

Se você duvida, vale apontar que mortes marcantes e situações de quase morte tornaram-se recorrentes nos filmes da Marvel. Stark quase morreu em Homem de Ferro, Homem de Ferro 2 (ele estava morrendo durante boa parte do filme) e em Os Vingadores o Agente Coulson morreu (e foi literalmente ressuscitado na série Agents of S.H.I.E.L.D.). Também tivemos a morte de Buck em Capitão América, a quase morte de Happy Hogan em Homem de Ferro 3, a morte de Frigga em Thor 2, e a morte aparente de Nick Fury em Capitão América 2.

Sendo A Era de Ultron mais um capítulo culminante do Universo Marvel Cinemático, espera-se grandes mudanças provenientes dele. E vale lembrar que em Capitão América 2 a S.H.I.E.L.D. INTEIRA foi desmantelada. Como bater uma mudança enorme dessa? Matando um personagem importante.

Daí, quando tudo parecer perdido, e Ultron continuar ganhando, mesmo com Mercúrio e Feiticeira Escarlate passando para o lado dos heróis, o protocolo de segurança final de Stark entrará em ação: o Visão.

O Visão dos quadrinhos (desenho de Jim Cheung).

O Visão dos quadrinhos (desenho de Jim Cheung).

Quem é o Visão? Pra começar, seu corpo é uma versão aperfeiçoada do androide Tocha Humana (não confundir com o membro do Quarteto Fantástico, cujos direitos de adaptação para o cinema pertencem à Fox) criado Phineas T. Horton, que apareceu como um earter egg do filme Capitão América: O Primeiro Vingador (achou que era só um enfeite, né?) levando em si a inteligência artificial J.A.R.V.I.S. (e se parecendo muito com Paul Bettany, é claro, que o interpretará em Vingadores 2).

O "Tocha Humana" em Capitão América: O Primeiro Vingador.

O “Tocha Humana” em Capitão América: O Primeiro Vingador.

Só que o Visão não é apenas um androide. Nos quadrinhos ele é um sintezoide, o que significa que ele é uma inteligência artificial criada como uma cópia de padrões cerebrais de um ser humano… uma “alma”… de um herói que morreu tragicamente… Nos quadrinhos o nome deste herói é Simon Williams… também conhecido como Magnum.

Paul Bettany como o Visão (fanart).

Paul Bettany como o Visão (fanart).

Whedon já revelou que Ultron não é um personagem “mau” no estilo clássico, que só quer dominar o mundo – ele foi programado para proteger a Terra, e a extinção da humanidade é o produto distorcido de sua programação. Por isto, para solucionar este problema, é preciso mais do que outra inteligência artificial com habilidades de combate. E o Visão seria a solução, porque ele teria uma “alma” humana inserida em sua programação, que o diferenciaria de Ultron.

E quem será a “alma” que tornará Visão um sintozoide? Já adivinharam? Sim, Tony Stark! Seus padrões cerebrais se unirão à inteligência artificial J.A.R.V.I.S. num corpo de um androide semelhante ao de um ser humano, que é basicamente o que o Visão é nos quadrinhos.

Esta teoria pode parecer forçada pra você num primeiro momento, mas basta pensar no seguinte: Whedon sabe que o segundo ato de um filme de gênero com frequência tem seus momentos mais inesperados. E o diretor está lidando com dois grandes desafios: superar o primeiro filme, e superar a grande mudança de status quo que o Universo Marvel dos cinemas sofreu com o final de Capitão América 2.

Lembre-se também de que a Marvel até agora não anunciou e nem sequer mencionou um 4º filme do Homem de Ferro, e vale novamente salientar que Downey Jr. só assinou contrato para fazer Era de Ultron e Vingadores 3, mas que não foi dito nada a respeito do tamanho do papel que ele teria no terceiro filme.

Agora você deve estar se perguntando: mas, peraí, você não acabou de dizer que Tony Stark vai morrer em Vingadores 2?

Isto mesmo. Agora você quer saber qual papel um cara morto terá em Vingadores 3, certo?

Pois bem. Imagine a já esperada cena pós-créditos de Vingadores 2: o funeral de Tony Stark, com todos os principais personagens da Marvel reunidos… O Visão assistindo tudo à distância. Daí J.A.R.V.I.S., com a voz de Bettany, diz algo como “Foi mesmo uma cerimônia adorável, senhor,” e surge na tela um close up de Downey Jr. com aquele visual dele dentro do capacete da armadura, e ele solta alguma frase espirituosa, pra deixar os espectadores malucos pra assistirem Vingadores 3.

tony-stark-in-helmet

Isto seria uma inversão de papéis, com J.A.R.V.I.S. tornando-se o “piloto” do Visão, e Tony o “co-piloto” do sintozoide, e ainda permitiria que Downey Jr. participasse de Vingadores 3 sem necessidade de uma atuação tão física, que ficaria por conta de Bettany, enquanto nosso querido Tony ficaria mais por conta de criar uma dinâmica bacana e divertida entre ele e o novo herói, como a “consciência” do sintozoide, espécie de mentor espiritual tecnológico.

E esta mudança drástica ainda abriria espaço para que James Rhodes (Don Cheadle) assumisse o papel de Homem de Ferro nos próximos filmes da Marvel, algo que já aconteceu algumas vezes nos quadrinhos.

E aí, o que achou desta teoria? Opine nos comentários abaixo.

Fonte: Newsarama

One thought on “[CINEMA] Homem de Ferro: uma teoria sobre o futuro do herói nos cinemas

Comments are closed.