[CINEMA] Cenas Épicas – Você também quis dançar!

cenas-epicas-de-danca-no-cinema

Muitas coisas fazem do cinema algo fantástico.

Os filmes nos marcam, nos motivam, nos comovem de várias formas. Nos filmes encontramos ideologias e conceitos capazes de alterar conceitos desenvolvidos por uma vida inteira.

E é possível dizer que algumas das cenas que marcam com mais frequência os espectadores das grandes telonas são aquelas envoltas na empolgante atmosfera da dança. Elas fazem história…

Quantas vezes você não teve vontade de dançar vendo uma cena muito empolgante?

Para relembrar algumas dessas cenas, o NGF reuniu alguns desses momentos épicos, que ficaram e ficarão para sempre na mente de todos. Nem todas as cenas são de dança. Na verdade, apenas algumas são. A ideia aqui foi pegar as cenas que fizeram você ter vontade de levantar do sofá e dançar. 😀

Obs: Se você é mais novinho e não se liga muito em filmes mais antigos, fica a dica de alguns títulos a considerar.

Cantando na Chuva (Singin’ in the rain, 1952): A palavra clássico foi definida a partir do momento em que categorizou esta cena, que provavelmente foi a mais zoada, copiada, imitada e homenageada de toda a história das produções cinematográficas. E claro, da sua vida também: quem nunca arriscou um passinho na chuva e cantarolou ou assobiou notas desta canção?

Fique então com o original, para fazer do jeito certo na próxima chuva.

Footloose – Ritmo Louco (Footloose, 1984): Nessa cena divertidíssima, protagonizada por Kevin Bacon (que é feio desde sempre), temos uma pá de rapazes dançando loucamente e mostrando o que é ser popular, certo?

Errado.

Na verdade, temos um monte de Nerds dançando. Afinal, se eles dançam desse jeito esquisitíssimo e não são nerds, eu não sei o que eu sou. (Não que eu seja talentosa dançando. Pense apenas na parte patética 😛 )

Além disso, a considerar que esse filme é de 1984 e a animação do vídeo, dá pra reparar que George Orwell estava errado: 1984 parece ter sido um ano bem legal.

Aliás, ano passado Kevin Bacon reprisou seu papel no filme quando entrou dançando no palco do programa The Tonight Show apresentado por Jimmy Fallon para comemorar os 30 anos do filme. Olha só no que deu:

De Volta Para o Futuro (Back to the Future, 1985): Tão falado agora neste início de 2015, esse filme se faz épico por inúmeras razões. Mas, se há uma cena empolgante (ou meia cena, já que ela nem dura tanto assim) no longa, é a de Marty tocando Johnny B. Goode (trocadalho!) com estilo no baile de formatura de Hill Valley.

Será que Michael J. Fox desenvolveu Mal de Parkinson por causa dessa cena?

caco-sapo-ue-inferno

Dirty Dancing: Ritmo Quente (Dirty Dancing, 1987): Quem imaginava que um filme feito com baixíssimo orçamento, e com uma protagonista mais feia que tombo com a mão no bolso, teria uma das cenas mais famosas do mundo pop no que tange às cenas de dança no cinema?

Pois é…  E para explodir sua cabeça de vez, a cena que transformou Patrick Swayze em galã e “(I’ve had) the time of my life” em hino de uma geração não era para ser aquilo tudo.

Reparou na coreografia que Patrick faz embaixo do palco com os outros atores? Sim… a coreografia deveria ser baseada apenas naqueles passos. A interação com Baby seria mínima. A química que gerou a famosa cena surgiu no filme, e por iniciativa do ator/dançarino. 100 XP pra ele!

Perfume de Mulher (Scent of Woman, 1992): Não Bastava ser um ator notável. Al Pacino precisava de mais em sua carreira; ele precisava dançar. Aliás, ele precisava dançar encenando um cego.

Abaixo a cena emocionante do tango Por Una Cabeza, capaz de causar arrepios em um veterano do Vietnã. <3

Curtindo a Vida Adoidado (Ferris Buellers’s Day Off, 1986): O que é um mito, caro nerd? Um mito é a imagem inscrita no tempo por meio das ações jamais esquecidas e dignas de serem seguidas… Logo, Ferris Bueller é um mito, afinal, todo mundo já quis matar aula como ele. 😛

E certamente ninguém que tenha visto essa cena poderá esquecê-la: o que é um moleque que invade um desfile no centro comercial de San Francisco para cantar “Twist and Shout“?

Save Ferris!

Flashdance – Em Ritmo de Embalo (Flashdance, 1983): Flashdance é um filme lindo e emocionante sobre a superação de uma jovem determinada a lutar por seus sonhos, e capaz de tudo para alcançar a perfeição e trilhar suas sendas pelos caminhos mais tortuosos por… peraí, isso é um homem?!

Eu estava maravilhada com o clipe e as coreografias, até notar que era um dublê de peruca… (nada contra! NADA CONTRA!)

Bom, independente de quem dança, o clipe é fantástico, e a coreografia marcou uma época.

Os Embalos de Sábado à Noite (Saturday Night Fever, 1977): para você que conhece o John Travolta como um gorducho esquisito eventualmente zoado em Os Simpsons ou em South Park, não sabe realmente quem foi “Tony Manero” (aliás, daqui vem a palavra “Maneiro”).

E se você, nos seus menos de 30 anos, acha que essa cena não fez sucesso, mostre ela a seus pais e pergunte o que eles dançaram na adolescência.

Cães de Aluguel (Reservoir Dog, 1992): Não. Essa não é uma cena alegrinha com gente bonita e sorridente dançando. Nem é uma cena edificante cheia de emoção…

Basicamente, a cena a seguir retrata um bandido maníaco entediado, cortando fora a orelha de um pobre policial sequestrado, ao som de “Stuck in the Middle with you”. E o pior de tudo é que, por mais bizarra que seja a cena, Tarantino usou a música tão bem, que é impossível não se empolgar.

Pobre policial.

Lambada! A Dança Proibida (The Forbidden Dance, 1990): Depois de fazer esse post tão legal, eu resolvi agredir você leitor com um momento de vergonha alheia.

Por quê?

Porque este é um momento que marcou de verdade o cinema. Eu não sei dizer com certeza como foi na época, mas sei que esta música se espalhou pela América do Sul nos anos seguintes de tal forma que até alguns brinquedos tinham essa melodia. Além disso, essa música tornou-se uma febre aqui no Brasil. Todo mundo, no iniciozinho dos anos 90, conhecia essa música.

O filme conta a história de uma jovem brasileira. Por isso, vocês notarão que a música está em português. É em português mesmo, não foi dublada. Mas os atores são americanos. Inclusive o tiozão fazendo cosplay de Michael Douglas.

Bem, o resto é só vergonha mesmo. Mas se quiser dançar, sugiro que feche a porta antes de soltar a franga que há dentro de você.

Pulp Fiction: Tempo de Violência (Pulp Fiction, 1994): Ainda aproveitando toda a genialidade de Tarantino com músicas bem aplicadas, temos a cena de Uma Thurman e John Travolta (sim, ele de novo!) dançando em Pulp Fiction.

Ressalte-se que John Travolta, antes de ser ator, era DANÇARINO. Tanrantino, contudo, não usa o talento do ator neste caso, tornando a cena mais interessante pela atitude dos atores do que por qualquer tipo de técnica. É cativante. You can never tell.

Hair (idem, 1979): O musical Hair surgiu como um reflexo dos muitos espasmos de rebeldia que agitaram a América e a Europa banhadas da contracultura e a agitação dos anos 70.

E Hair foi mais do que uma simples atração cinematográfica: o musical em questão acabou se tornando uma referência àquilo que sobrou do movimento Hippie. Era de Aquário (exibido no clipe abaixo) virou um verdadeiro mantra para quem esperava (e espera) a Nova Era. Aliás, é muito provável que você tenha ouvido essa música tocar diversas vezes no ano de 2000, quando todos esperavam uma “mudança de Era”. Não foi à toa. Foi por causa deste vídeo:

(Obs: reparem muito nas coreografias e nos figurinos. Nada disso foi inventado. Tudo foi copiado dos Hippies e ficou muito bem feito)

Napoleon Dynamite (idem, 2004): pra encerrar, um clássico moderno. Na verdade o filme em si pode até não agradar a todos, por seu humor um tanto estranho, mas não há como negar que o protagonista, imortalizado pela interpretação de Jon Heder, dá um verdadeiro show na hora de sua apresentação de dança no colégio. O nome da música diz muito sobre o momento do filme: Canned Heat, que pode ser traduzida como “Energia Enlatada”. E o que vemos é um sujeito NERD ATÉ O OSSO botando pra fora seu dançarino interior ao som de Jamiroquai. Épico!

Há muitas outras cenas interessantes envolvendo belos passos de dança, ou apenas atuações empolgantes embaladas por ótimas músicas. Estas são as mais clássicas, mas há sempre mais. Deixe nos comentários, se lembrar de alguma.

Até o próximo post.

4 thoughts on “[CINEMA] Cenas Épicas – Você também quis dançar!

  1. Outras sugestões de danças épicas ou escrotas:

    – The Cable Guy [Jim Carrey];
    – A Kinight’s Tale [Heath Ledger];
    – Music And Lyrics [Hugh Grant];

Comments are closed.