[CINE MONIQUE] Trash Humpers – vandalismo e imoralidade

trash humpers

Por anos eu evitei assistir o filme dirigido, roteirizado e atuado por Harmony Korine, intitulado Trash Humpers.  Mas hoje, a curiosidade falou mais alto, e acabei finalmente o assistindo.

O meu primeiro contato com este filme foi há uns 3 anos atrás, quando acidentalmente me deparei com um trecho do filme, em que um dos personagens cantava empolgadamente “make it, make it, don’t fake it”. Assim que terminei o vídeo, pensei “quem diabos faz um filme desses, e por que alguém veria?”.trash humpers (2)

Pra quem não têm a mínima ideia de que filme é esse, e até então nunca tinha ouvido falar sobre, trata-se de uma produção de 2009 onde Harmony Korine e seus amigos marcaram-se de idosos, e documentam-se pela cidade cometendo vários atos de vandalismo e se chocando contra os limites da moralidade.

A maior parte das cenas são deles se esfregando e encoxando qualquer coisa que vissem pela frente, como árvores, cercas e cestas de lixo.

Além disso, o filme é composto por uma trilha sonora predominantemente original (OST), com diversas músicas que melodicamente parecem com cantigas de ninar, mas que trazem letras um tanto quanto perturbadoras, como “três diabinhos que saltaram pelo muro cortaram suas cabeças e assassinaram todos eles”.

Se você conseguiu assistir ao vídeo anterior com a música “Three Little Devils” provavelmente já reparou no quão incomodo o filme pode ser.

O formato do vídeo, como se fossem vídeos caseiros em fitas VHS, combinado com as estranhas máscaras de velhinhos dão um ar perturbador durante todo o filme, e eu sinceramente mentiria se dissesse que com um tempo essa sensação passa.

Durante grande parte do filme eu continuei me perguntando “oh God, why?”, e então me deparei com um discurso que acabou me acalmando um pouco.

Você não entenderia a importância, e eu não entendo. Por que alguém escolheria viver assim? Às vezes quando dirijo por essas ruas à noite, posso sentir o cheiro da dor de toda essa gente jogada por aí. Posso farejas como essas pessoas apenas estão presas em suas vidas, suas vidinhas do dia-a-dia. […] O que as pessoas não entendem é que escolhemos viver com muita liberdade. Escolhemos viver como as pessoas deveriam viver.

Ao final do filme notei que este é um daqueles filmes “para poucos” (e confesso que até agora nem sei se foi um filme para mim).

Com cenas angustiantes e diálogos confusos, é uma produção que deve ser analisada pela entrelinhas. Acredito que qualquer um que pegue o filme sem tentar compreendê-lo profundamente vai achar a produção completamente horrível e desnecessária.

Desenterrado da paisagem escondida do pesadelo americano, Trash Humpers acompanha um pequeno grupo de mascarados parasitando através das sombras e margens de um universo desconhecido. Cruelmente documentado pelos integrantes, seguimos as ações chocantes desses verdadeiros sociopatas como nunca visto antes. Habitando um mundo de sonhos partidos e além dos limites da moralidade, eles se chocam com uma América dividida. No limite de uma ode ao vandalismo, este é um novo tipo de horror, palpável e cru.

nota-3E caso você ainda esteja na dúvida se este é um filme para você, confira os gifs a seguir, e decida por conta própria.