[CINE MONIQUE] Tirem o sorriso do rosto: um filme sobre infância e morte

O título já sugere bastante a qual gênero o filme pertence. Tirem o Sorriso do Rosto (Hide Your Smiling Faces) é um drama americano, de 2013, com roteiro e direção de Daniel Patrick Carbone.

Antes de qualquer sinopse, vale ressaltar que se trata de um filme minimalista. Ou seja, estejam preparados para diálogos curtos, e planos longos.hide your smiling faces tirem o sorriso do rosto  (1)

Inicialmente o filme me fez lembrar de A Árvore da Vida (The Tree of Life), porém as semelhanças pararam quando notei que enquanto este falava sobre vida, o outro tem o foco maior na morte.

A trama do filme inicia quando um amigo de Tommy (Ryan Jones) é encontrado morto na floresta após um desentendimento com o pai. A partir de então, Tommy e seu irmão Eric (Nathan Varnson) aliam-se silenciosamente em busca de esclarecimento sobre vida, e subsequentemente, morte.

O cotidiano dos garotos é repleto de falecimento, desde o acontecimento com o amigo de Tommy, até vários animais mortos frequentemente encontrados pelos dois, e passando ainda por ameaças suicidas do melhor amigo de Eric.hide your smiling faces tirem o sorriso do rosto  (4)

É fato que todo esse clima nada hostil no qual os meninos se situam acaba refletindo em suas vidas, e fazendo com que ajam impulsivamente, como uma forma de escape ou algo parecido.

Mas com as atitudes imprudentes, vem também o amadurecimento das crianças. Tommy, com 9 anos, está começando a descobrir a sua sexualidade, e com a ajuda do irmão (nem sempre com métodos agradáveis), também passa a tentar desconstruir seus pequenos medos de infância.

Do outro lado, temos Eric, aos 14, já na adolescência, e com aquele desejo de se sobressair como homem a todo tempo, como vemos em vários momentos do filme.hide your smiling faces tirem o sorriso do rosto  (3)

Mas para falar com sinceridade, o filme não tem nada que realmente prenda o expectador. Existem algumas insinuações e sugestões que o enredo dá sobre os garotos, que podem gerar dúvidas sobre os personagens, mas nada concreto ou fora do normal.

No geral, é um filme que te prende mais pela sua própria reflexão do que pela trama em si. Não há muito para se falar sobre. Talvez haja muito o que discutir, muito o que relembrar. Por vezes me peguei divagando sobre minha infância e adolescência, lembrando de coisas bobas que gostava ou tinha medo, e que hoje desprezo. E quanto a isso o filme pode ser bem interessante. Além de, é claro, uma leve reflexão sobre vida/morte/vida, e os impactos que uma tragédia como a morte do seu melhor amigo pode lhe causar.hide your smiling faces tirem o sorriso do rosto  (2)

Não sei se é pedir demais da atuação dos garotos, mas não há muito para elogiar. Principalmente do ator mais jovem que, não sei se propositalmente, não tem muita expressão e emoção ao atuar.

A fotografia do filme é bem interessante, sendo o foque e o desfoque muito trabalhados. A trilha sonora cai bem com a trama, entrando em profunda harmonia com as cenas do filme.

Não chega nem a ser um filme mediano, mas pra mim todo filme é valido, nem que seja pra ser usado só como grau comparativo. Como disse anteriormente, o filme é bom quando se trata de levar o expectador para sua própria vida, e a trama lenta e monótona ajuda, pois, mesmo sem prestar muita atenção, você não perde nada muito importante!

nota-2