[CINE MONIQUE] O Orfanato – ainda sobre infância

O Orfanato

Ontem foi o Dia das Crianças, e com toda a revirada de recordações, é impossível não se sentir nostálgico. Revi fotos, desenhos e hoje, sem querer, assisti a um filme que já tinha visto quando tinha uns 13 e estava “saindo” da infância.

É engraçado, e ao mesmo tempo complicado rever um filme numa fase tão distinta da sua vida. Seu senso crítico está mais aprimorado, mas por vezes você mantém uma certa delicadeza em julgá-lo pela carga emocional que ele pode te trazer. E somasse ainda o fato de que a história desse filme era muito mais interessante em seu ano de produção, quando não tínhamos tantos com tramas tão parecidas.

O Orfanato (El Orfanato) é um filme de 2007, dirigido por Juan Antonio Bayona, e com Guillermo del Toro como produtor.

A história é baseada em Laura (Belén Rueda) após o retorno com a sua família para o antigo orfanato onde viveu. Ela pretende reabrir a instalação, mas o ambiente desperta demais a imaginação do seu filho Simón (Roger Príncep), fazendo-a desconfiar que algo sinistro rodeia a casa.

Assistindo o filme agora, ele parece ser bem clichê. Mas na época em que vi, não era tanto assim. Mas mesmo assim, o filme tem bastante suspense, e por mais que o final seja previsível, ele ainda merece pontos pela referência maravilhosa a Peter Pan.

Além disso, as cenas assustadoras são completamente envolventes, e não apelativas como vemos muito atualmente. Você se assusta pelo ocorrido, e não por barulhos e imagens de entidades bizarras.

E por mais que ele não pareça tão maravilhoso como quanto vi pela primeira vez, ainda sim é recomendável!

nota-3