[CINE MONIQUE] O Escafandro e a Borboleta: entendendo a Síndrome do Encarceramento

O Escafandro e a Borboleta (1) Você sabe o que é a Síndrome do Encarceramento (ou Síndrome de Locked-In)? Eu mesma não sabia até ontem, quando assisti ao filme O Escafandro e a Borboleta (Le scaphandre et le Papillon).

A Síndrome do Encarceramento é uma rara doença neurológica em que ocorre a paralisia de todos os músculos do corpo, exceto porém dos olhos e/ou pálpebras.

O nome, como já deve imaginar, dá-se pelo fato do paciente ficar enclausurado dentro do seu próprio corpo, visto que continua consciente e intelectualmente ativo, porém não consegue se movimentar.O Escafandro e a Borboleta (2)Já dá pra imaginar o quão angustiado e desesperado um paciente com este diagnóstico deve ficar, mas você pode ter uma ideia ainda maior sobre este estado com O Escafandro e a Borboleta.

O filme é baseado no livro autobiográfico homônimo de Jean-Dominique Bauby, dirigido em 2007 por Julian Schnabel, e tem como trama a vida de Jean-Do após adquirir a síndrome já citada causada por um AVC.

Bauby (Mathieu Amalric) encontra-se em seus 43 anos, divorciado, pai de três lindas crianças, e antes do ocorrido, era um amante insaciável, e editor chefe da revista Elle.

Ao tomar ciência de sua situação, Bauby passa um tempo recusando-se a aceitar seu destino, e desejando a morte para que pudesse se salvar daquilo tudo.

Com a ajuda de sua ex mulher, de familiares, amigos, e principalmente da sua fonoaudióloga Henriette Durand (Marie-Josée Croze), ele vai aos poucos aceitando sua condição, e se esforçando em busca de melhorias em sua saúde e em sua comunicação.

Quando finalmente passa a dominar o método apresentado pela fono, Jean-Do inicia então seu livro, sobre sua vida e suas profundas reflexões sobre estar preso em um escafandro, e ao mesmo tempo ser uma borboleta.O Escafandro e a Borboleta (3)

É um filme lindo e profundo, em que por diversas vezes você se sente no lugar do próprio protagonista (principalmente por ser narrado por ele, e por ter a câmera em primeira pessoa em muitas cenas). Você frequentemente se sente angustiado e impotente por não conseguir fazer nada para ajudá-lo.

Recomendo este título para todos, visto que assisti-lo é uma experiência visual incrível para qualquer apreciador de cinema. Além de conter ótimas atuações, fotografia, reflexões, e muita emoção. Vale a pena conferir.

nota-5

E caso tenha se interessado sobre a história do Jean-Do, confira mais informações sobre o livro aqui.


Compre aqui O Escafandro e a Borboleta de Jean-Dominique Bauby!