[CINE MONIQUE] Love – sangue, esperma e lágrimas

AVISO: ESTE POST NÃO É INDICADO PARA MENORES DE 18 ANOS, E PARA PESSOAS QUE SE INCOMODAM COM PORNOGRAFIA.

love gaspar noe

É sempre difícil falar sobre um diretor que divide opiniões em extremos. Gaspar Noé é um desses. As pessoas simplesmente odeiam ou amam seus trabalhos. Raramente encontra-se alguém que fique neutro sobre esse “excêntrico” diretor.

Antes de assistir ao filme eu já tinha lido algumas matérias sobre o posicionamento de Gaspar sobre a sua própria obra. E acredito que ter tido ciência dos objetivos dele, tenha me feito captar melhor o filme como um todo.

Quis filmar o sexo como um ato amoroso, da forma mais íntima possível. É algo de um cinema que desapareceu depois dos anos 70. Hoje em dia, ou vemos o ato amoroso ou o sexo, como duas coisas separadas.

Gaspar Noé em entrevista ao UOL

Pra quem ainda não faz a mínima ideia do que realmente é esse filme (além de sexo em 3D), vamos para a sinopse.

No IMDB consta que Love é “um melodrama sexual sobre um menino e uma menina e uma outra menina. É uma história de amor, que celebra o sexo de uma maneira alegre.”

E por mais que explique com muita superficialidade o que é o filme, não deixa de ser verdade.

A trama é baseada em Murphy (Karl Glusman), que se encontra completamente infeliz já no primeiro dia do ano. Ele está casado com Omi (Klara Kristin), com quem tem um filho ainda pequeno. E embora ele ame muito a criança, não é ali onde ele quer estar.love gaspar noe (1) Toda essa insatisfação é ainda mais intensificada quando ele ouve um recado em sua caixa postal da mãe de Electra (Aomi Muyock), sua ex namorada, questionando-o sobre o paradeiro da filha, visto que ela está desaparecida há dois meses, e antes do sumiço estava pensando em suicídio.

A partir desta notícia, Murphy começa a relembrar de todo o seu relacionamento com Electra, e junto a ele, vamos entrando nessa história de amor com vários altos e baixos.

Já daí, dá pra imaginar que o longa não corre exatamente em um sentido cronológico, visto que dependemos das recordações de Murphy para saber como foi e entender a relação entre ele e Electra.

Confesso que nos primeiros minutos, eu tive a sensação de que iria odiar o filme. Achei que realmente fosse uma produção só para polemizar. Mas eu estava redondamente enganada.

Conforme fui tomando conhecimento, e me adentrando na história (algo que Gaspar Noé consegue fazer muito bem), eu fui criando profundas emoções dentro de mim.

Em momentos odiava Murphy, em outros tinha dó, e em alguns momentos até cheguei a amá-lo.

Mas quem realmente me ganhou na história foi Electra. Ela é um daqueles personagens femininos, impulsivos e intensos, que eu simplesmente não consigo não gostar.love gaspar noe (2)

Quanto às cenas de sexo, bem, o que eu posso dizer?

Eu simplesmente não consigo entender o porquê das pessoas ainda considerarem sexo nu e cru no cinema como uma polêmica.

Em um mundo em que a cada segundo, 30 mil pessoas veem pornografia, e que 30% dos dados baixados na internet são conteúdos pornô, eu realmente me pergunto qual o problema das pessoas que reclamam de cenas de sexo no cinema! Não faz sentido.

Têm sim muita cena de sexo, mas gente, que casal jovem hoje em dia não transa? Por retratar a história entre Murphy e Electra – um casal jovem – por que não haveria de ter muito sexo? Achei super plausíveis a quantidade, qualidade e diversidade do sexo entre os dois. Embora tenha me incomodado um pouco com o pudor sobre a genitália feminina, enquanto a masculina foi tão exposta. Mas isso não vem ao caso agora.love gaspar noe (3)

De uma maneira geral, acredito que o diretor tenha sim atingido todos os seus objetivos, e que mais diretores deveriam fazer o mesmo. Pra mim ele conseguiu retratar os dois significados da palavra “amor” (o de sentir, e o de fazer).

Mais do que só um filme com muitas cenas de sexo, Love é um intenso e complexo drama sobre amor e relacionamentos, sobre vida e morte, começos e términos, felicidades e tristezas. Parafraseando o próprio personagem Murphy, é um filme sobre “sangue, esperma e lágrimas”.

nota-5

Recomendo a todos que gostam de um bom drama, ou para os que apreciaram os trabalhar anteriores do Gaspar Noé. Só não recomendo para aqueles que realmente se incomodam com cenas de nudez e sexo. E se tiver em dúvida se aguenta ou não tais cenas, confira a seguir os pôsteres oficiais do filme. Se você sobreviver a eles, acredito que também sobreviverá ao filme.

 

 

//