[CINE MONIQUE] “Goodnight Mommy” e o retorno do terror

Goodnight Mommy (1)Esse pode ser um daqueles posts que quem ler me xingará horrores mentalmente, ou simplesmente concordará com tudo o que for aqui exposto.

Desde criança, sempre fui apaixonada por filmes de terror. Gostava da sensação de ter medo. De ser envolvida em uma trama, e ficar com aquilo na cabeça, pensando na possibilidade de ser real.

Com o passar dos anos, fui firmando minhas “crenças”, e já não havia mais tantas coisas que me deixassem com medo. Mas não foi culpa só do amadurecimento psicológico. Os filmes de terror já não eram a mesma coisa.Já não faziam mais filmes que me deixassem mais amendrontada depois de ter assistido, do que durante. Dentre os títulos que assisti nos últimos anos, me parecia que investiam mais em trilha sonora e “caras feias” do que na própria história. Eu pulava da poltrona não por estar envolvida e ter me surpreendido, e sim porque houve um barulho absurdo com o foco no rosto de uma entidade estranha. Eu tomava sustos, não ficava realmente assustada, se é que me entendem.Goodnight Mommy (3)

E todas essas experiências ruins fizeram com que eu simplesmente abandonasse os filmes desse gênero. Pode ser que eu tenha perdido títulos até interessantes, por puro preconceito dessa nova fase, e agradeceria se me recomendassem algum nos comentários deste post (se houver algum).

Mas a questão é que em meados de julho deste ano começaram a rodar notícias sobre o trailer de um filme completamente sinistro e perturbador – o trailer do Goodnight Mommy (Ich seh, Ich seh).

A esperança renasceu em mim quando terminei o trailer. E hoje, finalmente pude ter certeza da qualidade do filme.

O longa é uma produção austríaca de 2014, dirigida por Veronika Franz e Severin Fiala.

Elias (Elias Schwarz), seu irmão gêmeo Lukas (Lukas Schwarz) e a mãe (Susanne Wuest) vivem em uma casa isolada no campo, e logo de início demonstram uma relação bem conturbada: a mãe ignora a existência de Lukas, e por diversas vezes tenta o separar do irmão.Goodnight Mommy (2)

Não sabemos o motivo das atitudes e nem da cirurgia da mãe, mas de alguma forma os meninos a sentem diferente após o retorno. As ataduras não colaboram muito com a situação, e eles começam a se questionar: aquela mulher seria mesmo a mãe deles?

Durante todo o filme diversas evidências são dadas, e perder uma ou outra pode mudar sua concepção total do filme.

Confesso que no início achei que fosse ficar meio entediada, e tive que rever o início para reformular minha conclusão. Então não cometam o mesmo erro que eu: prestem atenção em tudo! Principalmente na casa. E no motivo do estoque de pizza congelada, por exemplo.nota-4

Achei o roteiro excelente, e o filme tornou-se para mim um dos melhores no sentido de terror psicológico. Recomendo para todos que, assim como eu, estavam ansiosos para o retorno dessas tramas envolventes. E não se esqueçam: prestem atenção em tudo! E boa noite…Goodnight Mommy (4)


//