[CINE MONIQUE] Dente Canino

kynodontasApesar de ultimamente estar tendo grandes dificuldades em produção de conteúdo, hoje acordei determinada a escrever sobre algum filme no CINE MONIQUE. Porém a minha escolha de filme não facilitou muito as coisas. Quando eu terminei de assistir Dente Canino (Kynodontas), eu simplesmente coloquei a mão no rosto e pensei: “o que diabos eu irei escrever sobre esse filme?”. E nesse caso a dúvida não foi gerada pelo meu recente bloqueio, e sim pelo fato do filme ser extremamente amplo e poder gerar várias discussões. Vocês entenderão o porquê.

O filme é uma produção grega de 2009, dirigido por Yorgos Lanthimos, e narra a história de uma família, composta por um casal e seus três filhos já adultos, que vive enclausurada nos limites de sua propriedade residencial. O único membro que sai de casa é o pai, que é também quem dita as regras.

– Uma criança está pronta para deixar a casa…?
– Quando o dente canino do lado direito cair.
– Ou o esquerdo, não interessa. Só nessa altura o vosso corpo está pronto para enfrentar os perigos que espreitam. Para sair de casa e estar seguro lá fora, temos de ir de carro. E quando estamos prontos para aprender a conduzir?
– Quando o canino direito crescer outra vez. Ou o esquerdo, não interessa.

É de se imaginar a “loucura” que é a rotina desta família. Os filhos, mesmo visivelmente crescidos, continuam a serem tratados e a agirem como crianças. As palavras são ensinadas com significados diferentes (principalmente aquelas que sugerem liberdade ou que tenham cunho sexual), tudo o que vem de fora é considerado anormal e amedrontador, e todos são subordinado ao patriarca (Christos Stergioglou).

O ápice da trama se dá quando em uma das visitas de Christina (Anna Kalaitzidou) – uma moça que é levada à casa para saciar os desejos sexual do filho -, quando ela acaba por despertar também a sexualidade da irmã mais velha (Aggeliki Papoulia). A partir de então a curiosidade começa a aflorar, e as dificuldades do pai em controlar a situação se iniciam.

Como já disse no início do texto, as discussões sobre o filme são infinitas. Assuntos como patriarcado, sexualidade, limites sobre criação dos filhos, riscos da alienação, desejo de liberdade, consequências do medo e até mesmo incesto, podem ser facilmente levantados em uma conversa após assistirem este filme. Além de é claro, aquela associação básica com o Mito da Caverna de Platão.

Confesso que esperava algo mais tenso por ter lido uma comparação deste filme com outra produção grega chamada Miss Violence, mas apesar de não ser tão pesado quanto este segundo, Dente Canino ainda sim é um filme que chama muita atenção, e que recomendo!

nota-4

PS: se tiverem lido esta ou qualquer outra sinopse, evitem procurar imagens do filme no Google. Pode ser que captem spoilers.