[ANIMAÇÃO] Samurai Jack – 5ª temporada, episódios 1, 2 e 3 (review)

[Atenção: esse post contém alguns pequenos SPOILERS]

Samurai Jack retornou esse ano para a felicidade de todos nós, nerds. Trazido pela Adult Swim, o que deu mais liberdade à equipe de criação, deixando a série mais sombria e adulta. O criador e diretor Genndy Tartakovsky disse que a nova temporada não terá uma conexão direta com o último episódio da série original. Ao invés disso, este novo show parte de novos eventos, anos depois do fim da série original, algo que muda Jack profundamente. Darrick Bachman, o roteirista, deixa isso bem claro:

Eu acredito que todos veremos Jack sob uma nova luz. Poderemos vê-lo sob um novo ponto de vista. Na série original ele era um verdadeiro herói em uma missão bem rígida. Agora, ele está meio perdido. Então é uma história de redenção e de reencontro. Ele precisa se reencontrar.

Os capítulos inéditos se passam 50 anos após o fim da quarta temporada, mostrando uma amargurada e dramática versão de Jack, que deixou de envelhecer (efeito causado pela viagem no tempo) e está amaldiçoado a vagar pela Terra por toda a eternidade.

Jack não é o mesmo que conhecemos. Agora ele usa uma armadura de samurai. Abandonando suas vestimentas antigas, ele se adaptou ao futuro em que vive, e aparece guiando uma moto, e portando armas (uma baita de uma metralhadora no melhor estilo Rambo). Se você está se perguntando onde foi parar a inseparável espada dele, meu caro amigo nerd, sinto te informar, mas nesse salto temporal da história atual, a eterna companheira de Jack, não aparece nos três primeiros episódios. Ele luta utilizando outras armas, como lanças, adagas, e até mesmo espadas, mas não a sua antiga espada companheira.

E não é só no visual que ele está mudado, Jack está brutal e implacável contra seus inimigos. Mas também vive atormentado por não ter conseguido voltar para o passado. Ele tem visões de sua família sendo massacrada. Visões com eles o confrontando por não ter voltado para socorrê-los. O Samurai vive em debate com sua versão anterior (a versão mais antiga que conhecemos) sobre o motivo de ainda não ter conseguido, de alguma forma, voltar para casa. Em um certo momento do episódio dois, sua versão mais antiga o questiona se ele já não está cansado de lutar – depois de um ato que ele jamais cometeu nas 4 primeiras temporadas – se não é melhor ele abandonar tudo e partir com honra (entenda-se partir com honra o mesmo que entregar-se à morte).

Abu aparece pouco nesse inicio de temporada. Ele aparece rodeado de lacaios, tentando agradá-lo, e procurando uma forma de acabar com o seu arqui-inimigo. A cena em que ele aparece se debatendo consigo mesmo em um divã, sobre como, após 50 anos, o Samurai ainda está vivo, é hilária. O culto a ele é muito grande, sendo mostrado até mesmo que algumas sacerdotisas, que o consideram seu Deus, criam e treinam crianças desde bebês para se tornarem impiedosas e fortes o suficiente para derrotarem Jack e venerarem Abu. E elas quase conseguem esse feito, se não fosse pela ajuda inesperada que Jack recebe.

Uma das coisas que mais se destaca em Samurai Jack é o visual. Os traços ficaram perfeitos. Cada imagem, cada quadro fala por si. Não precisaria nem de diálogos pra se entender a história. Tudo salta aos olhos, deixando esse novo arco da história ainda mais foda.

Por fim, Jack ainda tem visões com um cavaleiro, porém, o que vemos é somente uma silhueta escura em um cavalo. Se ele pode vir a ser um amigo ou um inimigo antigo, saberemos nos próximos episódios.

Se você ainda não viu nenhum episódio dessa nova empreitada de Jack, não perca seu tempo e vá logo assistir a essa animação incrível, que você não irá se arrepender. E tenho certeza que você ficará ávido pelos episódios que virão.

Trailer: