[ANIMAÇÃO] Porco Rosso, O Último Herói Romântico (resenha)

Com uma premissa um anto peculiar, esta animação conta com momentos bem leves e divertidos, além do seu protagonista que, de fato, é curioso.

Marco Porcelino Rosso, nosso herói, fora em seus dias de glória um piloto da Força Aérea Italiana, atuando na Primeira Guerra Mundial. Com seus companheiros todos mortos, e cansado de tanta guerra, busca uma nova vida nas ilhas do mar Adriático. Mas, algo estranho acontece: ele se transformou em um porco. Penso eu que essa transformação é muito mais simbólica que real, pois, com tudo que ele vivenciou, seus ideais são modificados, assim como sua autoimagem de herói. Ele abandonou seu antigo modo de ser para se tornar um homem individualista e desapegado das pessoas. Tudo o que ele passa a querer é uma boa bebida, um combate interessante e muito dinheiro. Ou seja, ele havia se tornado, literalmente, um porco.

Bem, como disse, ele queria ter combates interessantes, por este motivo passa a trabalhar como caçador de recompensas, e a todo o momento está a enfrentar Piratas dos Ares. Dia após dia sua vida segue sem muitas mudanças: perseguir piratas, ganhar dinheiro e ir ao bistrô onde trabalha Gina (último resquício de sua vida antiga). Isso até aparecer um piloto norte-americano, Donald Curtis, que é contratado pelos piratas a fim de derrotá-lo. Marco não possui um avião moderno, e este parece precisar de reparos sempre. Obviamente o acrobata e enérgico Donald o derrubaria do ar.

Com o avião destroçado, e para fugir do americano, Marco se esconde em uma ilha deserta, esperando o tempo certo para seguir até Milão. Onde reformaria seu avião, além de se preparar para uma revanche contra Curtis. Já na oficina Piccolo, conhece Fiona, uma talentosa designer de aviões e neta do dono.

Tudo propício para a jornada do herói se iniciar. Para que ele possa deixar de ser um porco, Marco precisaria se reencontrar como herói, entender os motivos pelos quais ele deve proteger as pessoas que ama, mas essa jornada é muito mais psicológica e não física. Ele terá que se conscientizar da necessidade de recuperar o coração de um aviador, e serão Gina e Fiona os elementos transformadores do caráter de Marco.

A animação possui elementos bem sutis, como, por exemplo, a crítica às consequências da guerra para as pessoas que ficam esperando seus entes queridos. Gina teve seu marido (companheiro de Marco) morto durante uma das ofensivas italianas, além do próprio Marco, profundamente marcado pela guerra por ver seus amigos serem mortos um a um. Uma das cenas mais bonitas da animação é quando ele está inconsciente e voando acima das nuvens. De lá ele vê todos os aviadores mortos subindo com seus aviões ao céu. A quantidade de aviadores abatidos durante toda a guerra foi capaz de formar uma estrada luminosa interminável. Miyazaki critica a tolice por trás dos conflitos.

Outro ponto bem sutil é a ambientação na Itália, com um cenário da década de 30, com detalhes sobre a ascensão do fascismo. Marco é considerado subversivo por não apoiar o novo regime. Todos os que fossem contra o regime deveriam ser imediatamente apreendidos. Existe todo um clima de medo vivido pelas pessoas. Apesar de apoiarem o novo regime, que buscava reconstruir a Itália, a população estava amedrontada com as ações extremas. Marco percebe a bobagem da política de nações, e isto talvez tenha contribuído para sua melancolia.

Miyazaki já comentou em diversas entrevistas o quanto gostava dos antigos pilotos da Primeira Guerra Mundial, bravos homens que disputavam com seus rivais quem era o melhor no ar, e este gosto foi transportada para essa animação. Podemos ver ao longo do filme o quanto ele se preocupou com pequenos detalhes, como o momento em que Fiona desenha o modelo do novo avião de Marco.

A animação é bem leve e colorida, até mesmo os vilões são engraçados (especialmente por seus traços pesados e estereotipados). Divertida de todo, mas que proporciona uma avaliação da guerra e suas consequências, principalmente das tolices que fazemos durante ela.

Com um ritmo descontraído, a animação acaba quando menos esperamos, deixando um gostinho de quero mais.