[ANIMAÇÃO] O Serviço de entregas da Kiki e suas lições (Nunca deixe seus medos controlarem seu potencial)

”Pintura e poderes mágicos têm muito em comum. Ás vezes também não há inspiração para pintar, o que se tem que fazer é aprender a lidar com esse tipo de fase”.

O Serviço de Entregas da Kiki é mais uma animação da Ghibli que, por trás de uma historia inocente e aparentemente infantil, nos dá uma valiosa lição: você é o único inimigo que deve enfrentar.

Kiki é uma bruxa de 13 anos que vive com sua família e se mostra ansiosa em dar continuidade ao costume familiar (nesta idade é hora de partir em busca de conhecimentos a fim de de terminar o treinamento, se tornando uma bruxa adulta e independente). Em companhia de seu mascote e amigo Jiji (um gatinho preto), ela parte para uma nova cidade.

Ela encontra a cidade Korico, e lá arruma um emprego como entregadora, aprende o significado de sua nova vida e das regras que deve seguir, assim como todos.

Não existe um grande conflito, a não ser os relacionados ao amadurecimento. Não existe um vilão tentando destruir seus planos, ou até mesmo pessoas normais a impedindo, muito pelo contrário, as pessoas que cruzam o seu caminho e se fazem próximas à ela somente querem ajudá-la (a dona da padaria, sua amiga pintora que habita na floresta com os corvos e Tombo, um garotinho fascinado por ela). Os momentos difíceis pelos quais Kiki passa, são os da transição da vida infantil para a adulta, e o vilão é a sua própria mente criando barreiras e quebrando sua autoconfiança. A representação da sua descrença é quando ela não consegue mais voar, e se sente impotente e fraca. A falta de fé nela mesma a faz fraca, impotente. E é disso que o filme fala: sobre o crescimento individual, autoconsciência, o peso das decisões, o medo dentro de cada um e, como não poderia faltar, o valor da amizade, respeito e amor.

O Serviço de Entregas da Kiki é um filme que merece, sim, ser lembrado, pois, assim como muitos filmes do Miyazaki, não existe pontos fracos ou cenas desnecessárias. É um filme belo. /sua técnica de animação e a escolha da paleta de cores transparecem tudo o que é necessário, principalmente que devemos levar em conta que nós podemos passar ou estar passando pelo que ela passou, e que, assim como a Kiki, temos que superar nossos medos e barreiras auto impostas para evoluir nossos potenciais.