[SÉRIES] After Fringe: como a vida se comporta depois da ficção científica? #NeverLetgo

Foi exatamente isso que pensei quando a FOX anunciou ano passado que finalmente faria aquilo que já vinha prometendo desde 2011. O cancelamento de Fringe durante a temporada 2012-2013. A série de J.J. Abrams estrelada por Anna Torv, Joshua Jackson e John Noble teve seu fim ontem (sexta-feira dia 18 de janeiro), com a transmissão de seus capítulos 12 “Liberdade” e 13 “Um inimigo do destino”. #OsNerdChora. Com o cancelamento de Fringe a FOX simplesmente não terá mais nenhuma série de ficção científica no ar, é a primeira vez que isso ocorre desde 2006. Terminator: The Sarah Connor Chronicles, Tru Calling, Firefly a bem da verdade é que nos acostumamos a ver a Fox cancelar as boas séries de ficção científica prematuramente, e Fringe foi uma exceção que foi longe demais. #WeCrossedTheLine

Desde sua 3ª temporada Fringe vem sendo ameaçado pelos baixos índices de audiência, o que a FOX não esperava é que os poucos fãs conquistados pela série eram do tipo extremamente fiéis e não mediram esforços em criar campanhas e dar os jeitos que puderam para manter a série no ar. Foi uma luta árdua contra a máquina das propagandas que não queriam manter Fringe na tevê. Obviamente, a máquina perdeu. Acontece que Fringe trouxe de volta o gostinho pela boa ficção científica, ciência inexistente que realiza sonhos estranhos, discussões calorosas sobre aplicação de coisas que hoje não passam de devaneios teóricos… é, definitivamente não se tem nada igual na TV, e os fãs tinham pelo que brigar, e definitivamente não havia NADA na tevê que competisse por este público, ainda que Nerds/Geeks curtam fantasia, épicos e séries baseadas em HQ, sempre falta a SciFi que gera discussão e faz gera cair no tapa sobre qual teoria é mais aplicável ou quantos cavalos de força tem o motor de tal nave…

Infelizmente a batalha chegou ao fim, o próprio J.J. Abrams assumiu estar com medo de estender demais a história que ia tão bem (talvez medo de repetir o fracasso do encerramento de LOST), e os fãs caíram na real que era melhor terem uma série chegando ao fim de forma inesquecível do que prolongar algo do que poderiam se arrepender depois. Mas o que acontece com a vida de quem acompanhou 5 anos de Fringe e agora se vê entregue a uma TV com comédias e séries meia-boca? John Noble comentou na Comic-Con ano passado que talvez poderia ser feito um filme no futuro, mas há boatos que Fringe poderá ganhar 3 romances oficiais, o primeiro volume “The Zodiac Paradox” volta aos anos 70 e fala de Walter e Bell desenvolvendo o Cortexiphan, enquanto o segundo “The Burning Man” contará a história de Olivia nos testes com Cortexiphan. #KeepLookingUp

Pra quem quer acompanhar o trabalho de Abrams tem Revolution (falo dela abaixo) e no cinema Star Trek Into Darkness já em pós-produção, além da possível continuação da franquia Missão: Impossível.

Nas séries não há grandes estreias programadas para o trecho de primavera de 2013, e sem grandes pretensões de que algo bom venha depois. O caminho para a gente seguir é ficar com o terror em American Horror Story (FX); a comédia de The Big Bang Theory (CBS); os derivados de quadrinhos em Arrow (CW) e The Walking Dead (AMC); os derivados de livros em Game of Thrones (HBO) e Vampire Diaries (CW); e a fantasia em Once Upon a Time (ABC), Merlin (SyFy), Teen Wolf (MTV), Grimm (NBC) e Beauty and the Beast (CW)… todos (atualmente) já velhos conhecidos e com públicos muito específicos.

E a ficção científica? Cadê? Se você procura ficção científica meu conselho é: compre um box de Star Trek e assista. Tem coisa velha já rolando, que é (risos) não tão boa (risos). Vamos ver… Tem Falling Skies em sua segunda temporada na TNT, série sobre uma invasão alienígena na Terra sem novidades de trama (até agora, pelo menos) e que me faz sentir saudade da cancelada V – Visitors, baseada num WebComic que não foi muito pra frente, ainda acho que a série tem chances de crescer, mas… fica no ar a expectativa disso; Alphas (SyFy) sobre um grupo de pessoas com superpoderes, e tá na categoria de séries que você se pergunta ‘porque foi renovada?’; Warehouse 13 (Syfy) na terceira temporada não tem muitos personagens que causem algum apelo, mas teve uma segunda temporada que posso chamar de boa, conta a história de uma equipe de agentes secretos que coleta objetos mágicos… é interessante.

Entre estreantes eu cito uma que já está no ar e do J.J. Abrams, Revolution (NBC) mais uma série sobre o fim do mundo, numa era pós-apocalíptica, 15 anos após todos os equipamentos eletrônicos pararem de funcionar (OH MEU DEUS SEM FACEBOOK!) um pessoal começa a procurar o motivo do blackout, até agora não teve nada de muito interessante, o episódio piloto foi no mínimo lastimável; a série toda está mais pra um grande drama (talvez por isso seja da NBC) do que ficção científica, e me lembra um bocado os momentos arrastados de TWD durante toda a série… mas… Vamos ver no que vai dar.

Pra quem gosta de Stephen King 24 de Junho será o lançamento de Under The Dome (CBS), numa linda manhã de outono uma cidade de Mane fica de repente separada do resto do mundo por um campo de força invisível. Ninguém sabe o que a barreira é, de onde ela veio e quando ou se ela irá desaparecer. Parece interessante, mas não espero muito das obras no cinema e televisão de Stephen King (vide filmes cag*dos como “O apanhador de sonhos”, “Rose Red” ou séries como “Nightmare and Dreamscapes”)

Utopia (Channel 4 UK), Piloto já foi ao ar… mais ou menos assim: cinco estranhos se conhecem online num fórum sobre um lendário manuscrito de um HQ Cult, e acabam sendo perseguidos por uma organização secreta conhecida como “The Network”. Os participantes do fórum online acabam se reunindo ao vivo depois de tomar posse dos manuscritos do HQ “The Utopia Experiments”; três das pessoas se encontram, mas duas são assassinadas por um membro do The Network, e um garoto de 11 anos chamado Grant acaba fugindo com o tal manuscrito. Sinceramente não sei onde isso pode dar, mas juraram de pé junto ser ficção científica. (#medo) Cara… até o trailer é desanimador, e se no trailer (onde selecionam as melhores cenas) não tem nada bom, dá pra sentir o que vem por aí.

Da Vinci’s Demons (Starz), Leonardo Da Vinci sofre com o dom de um intelecto de gênio, num mundo onde o pensamento e a fé são controlados, ele se vê num conflito entre verdades e mentiras, religião e razão, passado e futuro; Da Vinci emerge como uma força inigualável que irá tirar uma era inteira da escuridão e levá-la a luz. Pra começo que eu nem conhecia esse canal hahahahahahaha, mas ok, não to esperando muito e parece mais uma fantasia estranha (estilo Sherlock Holmes do Guy Ritchie). Estreia em abril, dia 12.

Defiance (SyFy), num futuro próximo, sete espécies alienígenas diferentes, os Votans, chegam a Terra procurando um novo lar depois que seu sistema estelar foi destruído. Porém, ao chegar eles descobrem não ser bem-vindos. Os Votans aguardam em órbita por 6 anos, com os suprimentos se esgotando eles decidem invadir a terra o forçar a raça humana a os aceitar. Depois de décadas de guerra os dois lados chegaram a exaustão, e em muitos lugares Votans e humanos se juntaram para lutar contra outras militâncias que se formaram em ambos os exércitos. Bla bla blá… é uma série do SyFy (pé atrás parte 1) mas tem boas chances de dar certo, apesar do baixo orçamento. O mais legal dessa série é a tentativa do SyFy fazer um show sem precedentes e interativo, ao mesmo tempo que acontece a série, haverá um jogo para computadores, eventos da série afetam o jogo, enquanto eventos do jogo afetam a série. Como isso vai funcionar e SE vai funcionar a deus pertence. Piloto vai ao ar dia 15 de abril desse ano.

Orphan Black (BBC America), com estreia prevista para 30 de março. Depois de testemunhar o suicídio de uma mulher Sarah assume sua identidade, enquanto começava a se livrar dos restos mortais da mulher Sarah acaba por descobrir uma verdade que irá revirar sua vida: Sarah e a suicida eram clones. A série acompanha a busca de Sarah por respostas, conforme ela descobre diversos outros clones e que um assassino está matando um por um. Essa série vem prometendo por trazer John Fawcett… risos… que já trabalhou em Xena, The Secret Circle, Blade, La Femme Nikita e naquele filme manerão de 2000 Possuída.

Do no harm (NBC) é outra que tá na categoria mais drama que qualquer outra coisa. Pra resumir é uma adaptação moderna do livro O médico e o Monstro. Um neurocirurgião tem sérios problemas em sua vida por sofrer de transtorno dissociativo de identidade (dupla personalidade) e toda noite se transformar num sociopata perigoso que põe as suas vidas em risco e a de todos ao seu redor. O episódio piloto já vazou e você consegue achar por aí, mas a estreia formal está marcada para dia 1º de fevereiro.

A maior aposta está em The Following, que assume na Fox o vão deixado pelas séries boas entrando de férias e não é de ficção científica. Não vou falar muito dela, apenas ASSISTA o trailer e o episódio 0 que é um documentário sobre. A série acompanha a fuga de um Serial Killer que acabou de escapar da prisão e vota a ativa, e de um policial afastado do FBI que é readmitido por ter sido o único que conseguiu pegar o assassino anteriormente. A série não é policial, como muitos podem achar, o foco não é a investigação e sim o assassino. Já vai ao ar o episódio piloto dia 22 de janeiro, e essa sim promete um algo a mais pra gente assistir.

Acho que são essas as promessas para 2013, e você tá sabendo de mais alguma? Minha opinião final depois de ver as listas de lançamento para 2013 é bem simples: vou sentir mais falta do que imaginava de Fringe.

3 thoughts on “[SÉRIES] After Fringe: como a vida se comporta depois da ficção científica? #NeverLetgo

  1. Tem uma serie canadense, Continuum, que foi renovada para a 2° temporada, nada se compara a Fringe, que eu considero entre as melhores series scifi ja feitas, mas da pra se divertir olhando essa. Tu esqueceu de citar a ja mto conhecida britanica Doctor Who, que chega aos 50 anos em 2013, é scifi, e promete bons episodios na volta pra comemorar o aniversario. Revolution ate agora nao empolgou, e acho que vai ser mais uma no estilo The Event, Flash Forward, cancelada sem final, nao me anima mto a seguir olhando. E fora do scifi, tem algumas boas de drama, Breaking Bad que termina esse ano, Game of Thrones é boa tbm, Homeland. E se for pra seguir no scifi, tem as antigas e sempre boas de rever, Arquivo X, Star Trek, Babylon 5, Stargate, etc. De comedia eu recomendaria Community e Modern Family, TBBT e TAHM ja cansaram um pouco a formula, TBBT ainda olho, a outra parei dps da saida do Charlie.

  2. Estou chorando, esperneando, sentindo um buraco enorme na minha vida desde sábado… nunca pensei que fosse ficar tão triste com o fim de uma série (mesmo sendo minha preferida), mas fiquei demais… provavelmente porque esse final foi diferente.. teve final (não foi cancelada), mas também não foi prolongada acabando com a mitologia da série só pra ter mais temporadas (vide Supernatural D: ). Talvez por isso venha a maior tristeza.. a série foi inteira boa e vai fazer muita falta! :’)

    Mas enfim, sentimentos a parte, sensacional esse post!
    Adorei esse resumão de séries que você fez (apesar de não ter me interessado por nenhuma das novas.. a não ser, talvez a The Following mesmo) e queria dar uma dica de série tbm: essa Do no harm, me fez lembrar da série Jekyll, que também é baseada n’O Médico e o Monstro, a sinopse é bem parecida com essa, mas o roteiro é do Moffat (Sherlock – outra série ótima).. o triste é que só tem 6 epis, mas é sensacional! Vale a pena!

    (ah! pra quem quiser um pouquinho mais de Scifi na vida, Continuum pode não ter começado muito bem, mas foi melhorando até o final da primeira temporada e acredito que será igual Grimm na segunda temporada… só o 1º epi da segunda temporada já foi melhor que toda primeira temporada! sério, haha!
    A segunda temporada de Grimm e, também, a terceira de TWD estão ótimas 😀

    Mas claro, nada é comparável a Fringe D: )

  3. Achei que o final de Fringe foi genial, pois fecharam um arco com eventos acontecidos logo nos primeiros episódios e respoderam a várias perguntas. ao contrário do que aconteceu em Lost.

Comments are closed.