[ADLER COMENTA] 10 Podcasts que você devia estar ouvindo agora mesmo.

Olárrrrr.

Mais uma semana provida pelos Grandes Antigos e desperdiçada por nós, que assistimos o programa do Celso Portiolli com o elenco do Carrossel no domingo, e o Câmera Record sobre Rouge na quarta. Pois é.

Mas eu não vim falar de programas da TV brasileira hoje. Não sei dizer o que, mas algo, quase como um déjà vu, me diz que esse blog AINDA não é o lugar para Chiquinho e João Kléber. Pelo contrário, bípedes, hoje eu falarei de uma mídia puramente de ÁUDIO. Sim, jovens, falarei de podcasts, a nova empreitada do Nerd Geek Feelings. Se você ainda não ouviu nenhum de nossos podcasts, confira aqui. Agora, pra te preparar pra entrar nesse mundo mágico de feeds, Podcast Addict e lambdas-lambdas-lambdas, eu preparei uma lista com 10 podcasts em que você pode se viciar sem problemas. São diversos temas e modelos, basta escolher o que melhor se encaixa contigo e ouvir sem parar. Claro, se quiser, pode acompanhar todos, como eu. 🙂

E antes que eu fale disso, preciso explicar o que é o PODCAST. Bem, sempre que vou explicar para algum conhecido, gosto de usar o argumento de que é “um programa de rádio para baixar”. Às vezes também simplifico dizendo que é tipo “Pânico na Rádio” só que em “.mp3”. Enfim, um programa de áudio que você baixa e escuta a hora que quer, igual música. Eles podem ser um podcast que tem um tema geral (mas com sub temas a cada episódio), como videogames, ou um podcast sem tema específico e sim uma ideia por cima, com cada programa tendo o seu tema fechado.

Eu, particularmente, só ouço podcasts brasileiros, mas a gama de podcasts gringos é gigantesca. Lá fora o podcast em si faz mais sucesso e é mais difundido, por isso a imensa variedade de programas. Sem me estender, aqui vão algumas menções especiais de podcasts americanos que eu já ouvi e são bons: Sleepy Cabin (humor BEM nonsense relacionado a cultura pop, normalmente eles fazem tirinhas ou vídeos em forma de desenho para ilustrar os programas), Talk Is Jericho (apresentado por Chris Jericho, lutador de luta livre profissional e vocalista da banda Fonzie, é um programa de entrevistas. Normalmente os entrevistados ou são da área de wrestling ou astros do rock) e Samurai Archives Japanese History (história japonesa, focada no período Sengoku).

Alright Alright Alright, vamos à lista!

1. Motherchip

01

 

Site: Overloadr
Quando: Toda quinta-feira

O Motherchip é um podcast bem novo (não tem nem um ano de vida) que nasceu a partir da morte de outro podcast, o Games On The Rocks. Esse antigo era hospedado pelo IG, dentro da área de games do portal, o antigo Arena. Lá, os participantes do podcast, dos quais três (Caio Teixeira, Heitor de Paula e Henrique Sampaio) formaram o Overloadr, bebiam e conversavam sobre jogos. Com jornalistas e profissionais da área sempre participando, o podcast era um papo sem regras e sem pudores sobre videogames e sexo, normalmente misturados e espremidos. Uma vez que o portal não estava mais dando a liberdade e a oportunidade de crescimento que o projeto precisava, os últimos membros restantes da formação original saíram do IG e formaram o seu próprio site independente de notícias de jogos e comportamento de jogadores, o já citado Overloadr. Com uma fan-base gigantesca herdada do antigo projeto, o podcast Motherchip já tinha milhares de downloads apenas em sua estreia, garantindo assim a vida do novo site e do novo programa. Porém, diferente do GoTR, o Motherchip passou a levar um pouco mais a sério as discussões abordadas. Por isso os participantes abandonaram a frivolidade das conversas movidas a álcool e passaram a ter uma roupagem mais séria, porém, nada menos descontraída. Convidados especiais ficaram mais frequentes, sendo que estes sempre trabalham na indústria e são pessoas renomadas no meio.

Motivo da Recomendação: Mais do que qualquer outro podcast que citarei aqui (bem, talvez apenas um se iguala, e por um bom motivo), o Motherchip é o que mais se assemelha a uma conversa franca e divertida entre não só profissionais da área de jogos, mas também de jogadores natos que entendem a cultura que existe por trás dos pixels que compõe os videogames. Assim, o programa é bem leve e divertido. Para quem gosta de videogames e do mercado atual deles, esse programa serve como um ponto de vista mais humano e moderno da indústria. Tanto jogos grandes e atuais são analisados, como jogos indies ou antigos. A prioridade é tratar videogames como cultura e arte, e, por isso, dar o devido respeito e maturidade a eles. De quebra, os caras têm muito bom humor e não se deixam ter comportamento infantil e mimado de fanboy. Além de tudo, é meu xodózinho. <3

2. Bilheteria

02

 

SiteOverloadr
Quando: Toda terça-feira

Bem, eu AINDA não acabei de falar dos meninos do Overloadr. Acontece que, na época do GoTR, eles tinham o costume de, no final do episódio, lá pela leitura de e-mails, comentar o que eles tinham feito além de videogames. Isso incluía passeios, filmes, séries, mangás, músicas, shows, peças. Enfim, qualquer cultura que eles tivessem consumido fora dos eletrônicos. Nos últimos podcasts lá dentro, provavelmente motivados pelo eminente fim do programa, eles começaram a mesclar isso com a hora dos jogos. Ou seja, o podcast agora era uma mistura de videogames, cultura, passeios e opiniões em temas que surgiam conforme a conversa fluía. Quando eles fizeram a transferência pro Overloadr, perceberam que o público gostava cada vez mais de quando eles conversavam sobre assuntos justamente FORA dos games, que é o foco deles. Assim, uma vez que eles tinham muito mais tempo livre agora, decidiram criar um segundo podcast, o Bilheteria, focado todo em consumo de cultura pop. Fosse falar de um livro que leu, um filme que assistiu, uma série que conheceu, um álbum que ouviu. Qualquer atividade que não falasse de jogos poderia entrar ali, e assim eles fizeram. Assim como no Motherchip, o programa frequentemente também conta com convidados, sendo que esses normalmente são amigos e conhecidos dos participantes que tenham algum reconhecimento público, como quadrinistas, comediantes, blogueiros, etc.

Motivo da recomendação: Não vou me repetir e dizer que eles têm um papo leve, divertido e muito informativo. Ao invés disso, vou deixar claro que eles conversam sobre cultura em geral. Não apenas o conteúdo que eles consumiram, mas também o tema e a discussão que circunda aquilo. Como falar de feminismo e participação das mulheres em filmes enquanto discutem Mad Max. Ou falar sobre um gênero musical inteiro enquanto abordam algum artista pertencente a ele. Até mesmos animes, que eles normalmente evitavam e tinham preconceito, eles passaram a abordar mais e dar um ponto de vista mais “cético” e ocidental àquelas obras nipônicas malucas.

3. Rapaduracast

20150521-423-post-cast

Site: Cinema com Rapadura
Quando: Teoricamente, toda quarta-feira (na prática, a cada duas semanas)

Há!

Esse aqui fala com você, certo?

E como não? Rapaduracast é o maior podcast de cinema de todo o Brasil. Tão antigo quanto os maiores podcasts atuais, o Rapaduracast é a idealização de um dos melhores podcasters de todos (além de um dos meus favoritos): Jurandir Filho. Ele é um entusiasta dessa mídia e faz disso sua vida, tanto que ele edita e organiza diversos podcasts, dos quais três serão abordados aqui. Bem, o programa é focado no cinema. Filmes blockbusters, filmes independentes, listas temáticas, trilhas sonoras, diretores, atores, premiações. Enfim, a gama de subtemas desse podcast é gigantesca. E não é qualquer um que fala sobre o assunto. O time fixo do Rapaduracast é formado por críticos diplomados de cinema.

Motivo da recomendação: Bem, um dos principais é justamente a diversidade dos programas. Dentro do Rapaduracast existem “séries” de programas e modelos que abordam um tema específico do cinema. Seja a biografia de algum ator, seja uma análise de um compositor de trilhas sonoras, um programa que aborde uma franquia ou gênero de filmes, listas de filmes temáticos, recomendações menores. Enfim, tem MUITO material pra quem gosta dessa área.

Outro motivo que me faz gostar do Rapaduracast é a emoção que eles deixam dentro das análises. São críticos que argumentam não só com os olhos, mas também com o coração. Não é aquela análise fria, chata e engessada. Não, aqui se falam piadas, exageros, ofensas gratuitas, comparações forçadas. E tudo de um ponto de vista bem neutro, que nunca faz parecer que quem está falando aquilo é o dono da verdade.

4. 99vidas

99vidas-cast-138

Site: 99vidas
Quando: Toda sexta-feira

Também sob o comando de Jurandir Filho, o 99vidas é um podcast nostálgico sobre games e infância dos anos 80/90. Com já 4 anos de existência, o programa junta Jurandir, Izzy Nobre, Bruno Carvalho e Evandro de Freitas em papos longos e BEEEEEEM descompromissados sobre jogos que eles jogaram na infância. Além dos jogos, o 99vidas fala na verdade sobre uma “era”, que foi a febre dos videogames, fliperamas e locadoras dos anos 90. As revistas de jogos da época, as lendas que se espalhavam entre as crianças, o ambiente da locadora clássica, os “reis” dos consoles daquele ano. Nos últimos dois anos que, pressionados pelos ouvintes e pela inevitável escassez de um tema como esse, eles passaram a falar também de jogos atuais, ou de eventos importantes como a E3.

Motivo da Recomendação: Esse aqui foi um dos podcasts que mais me marcou na vida. Acontece que, assim como fiz com o MRG e o Jovem Nerd, que citarei ainda nessa lista, eu escutei o 99vidas fora de época. Ou seja, eu tinha 80 edições de diferença pra ouvir até chegar nos atuais. Assim, eu consumi esse podcast de uma forma muito rápida e intensa. Ouvia 3, até 4 edições seguidas, sem parar. Isso fez com que a experiência com eles fosse diferente do habitual, que é baixar um episódio por semana e só. Além disso, por estar fora da minha época, eu não era atingido por promoções, notícias, interações com o público. Eu era praticamente um fantasma ouvindo eles, sem direito a opinar sobre os programas que ouvia. Pode parecer ruim, mas essa forma de consumo, quando feita com o podcast correto, é incrível. Você passa a praticamente viver com aqueles caras falando no seu ouvido, e isso cria laços fortes entre o ouvinte e o locutor. FORA ESSA PAIXÃO PLATÔNICA, eu gosto muito da forma como eles tocam o programa. Apesar de existir uma pauta, ela pode e VAI ser interrompida a qualquer hora, por qualquer um, pra falar qualquer merda, piada, informação desnecessária. Eles são possuídos por um espírito genuinamente “moleque” e de zoeira, como eram as discussões entre colegas de classe. Por isso o forte do podcast aqui é o humor feito entre as zoações que um participante faz com o outro. Não que isso diminua a qualidade da edição e da escolha de temas, que são muito bons por sinal.

5. Canal 42

canal42_capa_S01E01_wallpaper_pc

Site: Canal42
Quando: Toda quinta-feira

Finalizando a safra de podcasts encabeçados pelo Jurandir Filho, temos o extremamente novo Canal42, um podcast sobre séries de TV. Como já dito dentro do programa, eles consideram animes e desenhos animados como “séries”, então esses nichos acabam englobados no podcast também. Semanalmente eles escolhem uma série para comentar. Se for uma série ainda em continuidade, eles dedicam um programa para falar de todas as temporadas antigas de uma só vez e um programa por cada temporada nova (nova a partir da existência do podcast). Se for uma série já finalizada, um programa só para englobar tudo. Dentro do episódio, ele é dividido em uma curta parte sem spoilers, que propõe apresentar a série, o enredo, o background e o feedback para o ouvinte que nunca assistiu. Depois disso, a parte mais “grossa” do programa desfia a série por completo, comentando mortes, plot twists, momentos incríveis, momentos ruins, roteiro como um todo. Eles também possuem modelos de episódios com recomendações, falando brevemente das séries sem spoilers, e modelos de episódios sobre temas envolvendo séries, como pirataria.

Motivo da Recomendação: Não tenho muito o que comentar deles, já que começaram meses atrás, mas posso garantir que este podcast é uma fusão muito prática e deliciosa dos modelos de programa do Rapadura e do 99vidas. Enquanto que a discussão sobre a série seja tão séria, embasada e estudada quanto os filmes do Rapadura, o modelo de programa do 99vidas é repetido aqui (introdução curta que consiste de alguma pergunta a ser respondida pelos participantes, abertura sonora, tema principal, trilha de encerramento) de uma forma muito orgânica. Outra coisa que eu simplesmente amo nos programas que o Jurandir edita é como ele encaixa o tema geral do podcast no programa. Como exemplo, no Canal42, a abertura sonora é, além de uma música rápida, trechos de diálogos da série que vai ser abordada naquele episódio, divididas entre si por um barulho que lembra o trocar de canal da TV mais antiga, com aquele chiado. Não só isso, mas no final do programa, após a trilha sonora, que serve como “créditos”, você ouve um preview de qual será o próximo episódio do podcast, normalmente com outro trecho de diálogo da série abordada na próxima semana.

6. Melhores do Mundo

header_nov_ultra

Site: Melhores do Mundo
Quando: Toda sexta-feira

Depois do Jovem Nerd, este é o programa que vocês mais deveriam ou devem conhecer. Isso porque estou falando do MDM, este site de notícias nerds que há muito tempo criou o seu podcast sobre… tudo. Eu não sei se sempre foi assim, mas o podcast do MDM sempre foi famoso por abordar temas diferentes e bem únicos. Seja uma lista de “cenas de filmes de ação mais forçadas de todas” ou uma lista de “filmes com cachorros inteligentes”, o MDM é pioneiro em fazer programas completamente improvisados e que ainda assim ficam ótimos. Nunca esqueço o maravilhoso episódio sobre “Heróis que inventamos na infância e adolescência”, com direito a esboços e desenhos da época que ilustravam os heróis fictícios. Os temas normalmente envolvem quadrinhos, mas a falta de criatividade ou de paciência podem levá-los a falar de filmes bregas, programas de auditório dos anos 90 ou comidas de bar favoritas.

Motivo da Recomendação: Algo que eu respeito muito, mas MUITO mesmo no MDM é o conhecimento deles pra falar de quadrinhos. Diferentes de alguns sites que tentam pagar de entendidos de HQ e acabam falando um mês todo só sobre Hellblazer e Graphic MSP, o MDM pode falar do que quiser e como quiser. Muito graças ao Hell, participante bem ativo e que normalmente toma as rédeas como líder. Ele é leitor assíduo de muito tempo, por isso normalmente sabe tudo sobre roteiristas e desenhistas clássicos. Juntos eles têm muitos outros fãs velhos, e até um quadrinista famoso, o Rodney Buchemi. Também devo dizer que eu não adoraria tanto eles se não fossem capazes de me fazer rir tanto com nenhuma edição. Apenas as conversas corridas deles já são suficientes para me deixar focado no tema. E acima de tudo, a capacidade deles de deixarem podcasts concorrentes repletos de patrocinadores e edição profissional no chinelo. Não que eles ganhem mais reconhecimento que os podcasts profissionais, mas eles te mostram o quão desnecessário esses cuidados são quando você tem uma boa química entre os participantes e uma habilidade inacreditável para falar de qualquer coisa.

7. Mangá²

manga2-104

Site: Ao Quadrado
Quando: Toda segunda-feira

Existem duas fases para mim como ouvinte de podcasts. Existe a fase “hey, esse podcast que me recomendaram é excelente, vou engolir todos os episódios dele todos os dias”, que é quando você começou ouvindo um ou no máximo dois podcasts diferentes e eles basicamente são sua referência para tudo. Também existe a fase “hey, será que tem podcast sobre HIPISMO?”. É quando você se liberta das tetas dos seus únicos podcasts clássicos e sai em busca de “comida”. Você vai procurar podcasts sobre assuntos que você gosta, e não procurar assuntos que você gosta em um podcast só. Nessas, conheci o Mangá², ouvindo antes uma série de programas chamado ToCast, onde eles falavam, entre outras coisas, sobre Shonen Jump Jojo’s Bizarre Adventure. Com o tempo eles passaram a fazer programas semanais que discutiam algum tema e também comentavam os capítulos daquela semana dos 3 principais Shonens do Japão. Depois de uma nova reformulação, o programa adotou um tom mais acadêmico, se podemos dizer assim, e passou a fazer apenas programas com temas, sem a cobertura semanal de capítulos. Hoje, eles fazem análises de mangakas, análises dos primeiros capítulos de alguns mangás, torneios fictícios entre personagens e muito mais.

Motivo da Recomendação: Simplesmente porque é impossível você encontrar outro podcast de mangás tão profissional, qualificado e embasado quanto esse, por mais que você procure. Um dos motivos principais disso é que seus membros, Estranho e Judeu Ateu, são leitores de mangás com um gosto muito bom para obras de boa qualidade. Por isso o programa não vira apenas uma punhetação de mangás famosos e do momento, e sim uma análise de obras desconhecidas e que fogem do padrão e dos clichês japoneses, os famosos “tropes”.

8. Nerdcast

banner-nerdcast

Site: Jovem Nerd
Quando: Toda sexta-feira

Falar do Nerdcast e do Jovem Nerd é chover no molhado. Os caras são a ponta de linha no que se diz de podcasts hoje em dia. São líderes disparados em números de downloads, público ativo e comentários. Bem, pra quem não sabe ainda, o Nerdcast é um daqueles podcasts que citei lá em cima que não tem um tema. Ele é, para todos os efeitos, uma visão “nerd” sobre qualquer coisa. Por isso programas como “Novelas dos anos 90” e “Doenças Mentais” coexistem no mesmo podcast. Reconhecido nacionalmente e, uma vez, internacionalmente, o Nerdcast é normalmente a porta de entrada da maioria da galera para esse mundo.

Motivo da recomendação: Não acho que HOJE eles mereçam tanto destaque quanto eu daria para eles alguns anos atrás, mas é válido mencionar, pela memória afetiva mesmo, que eles foram por muito tempo a atividade mais prazerosa que eu tinha no meu dia. Junto deles eu passei por 3 empregos, trocentos quilômetros de Metrô e 1 assalto. Eles de fato me marcaram, algo que não vai sair nunca, mas atualmente eu não daria tanto crédito assim pra eles. Pelo menos, para quem não os conhece, serve como um ótimo podcast inicial para ir se habituando. É como dizer que o melhor telejornal é o Jornal Nacional. Você sabe que ele é foda, mas ele tem lá suas polêmicas e defeitos, escondidos por muito fã cego. É aquelas: se você não sabe por qual podcast temático começar, comece por aquele que abrange tudo e o faz com qualidade. Mas sinto lhes dizer que vocês nunca passarão com eles o que eu já passei. 😉

9. Luchamania

Uma OBS importante: esse NÃO é o banner deles. Pela falta deles terem um oficial, estou usando esse improvisado da Wrestlemania, que foi tema de um dos últimos episódios deles

Uma OBS importante: esse NÃO é o banner deles. Pela falta deles terem um oficial, estou usando esse improvisado da Wrestlemania, que foi tema de um dos últimos episódios deles

Site: Puro Pop
Quando: ????

Um dos pouquíssimos podcasts de luta livre aqui no Brasil. Idealizado pelo pessoal do Puro Pop e com a participação do ex-host do GoTR e bróder do kokoro, Caio Corraini, esse aqui é infelizmente o único podcast dessa lista que está em hiato indefinido. Eles não tinham periodicidade definida, mas faziam programas bacanas e sucintos sobre luta-livre profissional. O foco era WWE, que não por acaso é a maior empresa de luta-livre no mundo hoje, mas eventualmente eles também comentavam sobre circuitos independentes e concorrentes menos famosos.

Motivo da Recomendação: Um problema que eu sempre passo quando falo sobre luta livre com leigos é explicar que, apesar dos resultados serem combinados e roteirizados, a luta em si não é, por isso ela não é menos física e agressiva do que uma luta olímpica, por exemplo. Passar por esse processo de explicação é bem chato, ainda mais quando a pessoa que está ouvindo não dá o braço a torcer, ou não entende como uma luta pode ser falsa e verdadeira ao mesmo tempo. Por isso eu gosto tanto de um podcast que, em seu primeiro episódio, se propõe a explicar e tirar essa imagem errada do wrestling. Ali eu me senti representado, e imagino que qualquer fã brasileiro de luta livre vá se sentir o mesmo quando ouvir esses programas. O lado ruim é não saber quando e SE ele voltará, mas até lá você tem 9 episódios bem maneiros pra acompanhar.

10. Matando Robôs Gigantes

mrg_jpeg_700x1024_upscale_q90

Site: Jovem Nerd
Quando: Na teoria, toda quinta-feira. Na prática, toda sexta-feira de madrugada.

Well well well. Chegamos na polêmica recomendação, que até agora eu não sei se é de fato uma. Bem, o MRG é um podcast um pouco velho já, feito pelos três amigos Affonso Solano, Diogo Braga e Beto Estrada. Antigamente eles se dividiam em 4 tipos de programas, sendo que eram 2 por semana. Eram eles Games, Quadrinhos, Filmes e A Voz do Robô. Esse último era um programa (SIMPLESMENTE INCRÍVEL E QUE AGORA MAL EXISTE DE VERDADE) que satirizava um jornal, com notícias reais mas bizarras comentadas pelos participantes. Além disso, eles tinham outros programas mais sazonais e únicos, como Montando o Robô, onde eles se propunham criar um filme/quadrinho/game/novela a partir do zero, que na prática era um grande e divertido brainstorm. Outro modelo era o Mata ou Pilota, um programa mais curto que trazia notícias da cultura nerd e que os participantes “pilotavam” (aprovavam) ou “matavam” (rejeitavam). Bem, isso foi antes da crise do MRG, que hoje basicamente é um podcast curto sem nenhuma programação (e muitas vezes, graça) de tema, e um vlog que tem ficado melhor apenas nos últimos 10 episódios.

Motivo: Pra ser bem sincero, estou colocando o MRG aqui apenas para preencher 10 podcasts sem repetir muito o tema. Eu vivo uma crise de amor e ódio com eles. Os amo pelos mais de 200 episódios nos modelos antigos que eles me deram por muito tempo, incluindo a Voz do Robô que, digo aqui com todas as palavras, era o podcast mais engraçado de toda a internet. Mas os odeio pela série de cagadas que começaram a fazer a partir de 2013, acredito eu. Eles pararam com os programas de temas, alegando que isso “confundia” as pessoas novas, sendo que eu era, na teoria, uma pessoa nova e consegui acompanhar tudo certinho. Disseram na época que aconteceria uma “revolução” no MRG, e que nada mais seria a mesma coisa. Bem, eu não sei que tipo de piada escrota eles quiseram fazer, ou se eles cegamente acreditavam que aquilo era algo novo, mas na prática tivemos menos programas por semana, com efeitos sonoros diferentes e uma duração menor. Você enxergou aqui alguma vantagem ou mudança positiva?

Agora, o meu maior problema com eles é justamente o motivo de eles fazerem essas mudanças: os problemas que eu acredito que eles têm em suas vidas pessoais, mas que eles não revelam para os ouvintes. Claro, eu não quero que eles falem de seus problemas pessoais, não. O que quis dizer é que eles podiam ter justificado essas mudanças com os novos padrões de vida que todos estavam se habituando, sendo que o Didi agora era pai de duas crianças, Affonso era coordenador de uma editora, e Beto administrava uma loja de camisetas e outros produtos. Não, eles preferiram mascarar isso com essa tal de revolução que nunca veio, e por isso eu fiquei extremamente chateado. Ao ponto que pensei seriamente em largar eles, não fosse o carinho que tenho pelos mesmos já teria acontecido.

Por essas e outras eu não posso RECOMENDAR o podcast para vocês, pois o que temos em hoje é uma sombra bem feia do que ele já foi um dia. Por outro lado, não quero recomendar os programas antigos e fazer você se desiludir tão forte quanto eu. Ainda assim… reforço que A Voz do Robô é um dos melhores programas que você vai ouvir em sua vida. Mas faça isso com sabedoria e a noção de que esses caras cada vez mais se afastam do podcast, e mais migram para programas com menos trabalho da parte deles, como vlogs e gameplays.


 

Bem, essa foi a lista galera. Espero de coração que tenham gostado, apesar do tamanho gigante que acabou tendo. Eu sou um viciado em podcasts, tanto que escrevi tudo isso aqui sem precisar pesquisar informações, por isso tenho uma afeição muito grande por essa mídia. Se você souber usar o podcast, ele vai tornar muitas atividades bem melhores, como almoços sozinho, viagens de transporte público, até mesmo jogar games mais leves e sem muita estratégia. Recomendo, por fim, o app Podcast Addict, o que eu atualmente uso em meu Android e que até agora não me deixou na mão.

Um abraço caloroso e cheio de tentáculos.

2 thoughts on “[ADLER COMENTA] 10 Podcasts que você devia estar ouvindo agora mesmo.

  1. Já que o assunto é podcast, minha recomendação (óbvia): um podcast de literatura, o Ghost Writer. Falamos de nossos livros, gêneros e autores preferidos em clima de papo de bar.

Comments are closed.