[LIVRO] Os porões do Majestic, de Georges Simenon (resenha)

Sempre fui fã de romances policiais, especialmente quando apresentados pela perspectiva lógica de um ilustre detetive. E devo dizer que Maigret não deixou a desejar com toda sua perspicácia e astúcia.

Os Porões do Majestic apresenta uma trama repleta de mistérios que obstaculizam a resolução de um crime. Ambientalizada em uma Paris na primeira metade do século XX (onde podemos viajar desde o subúrbio, com suas ruelas e casebres, até a parte prestigiada e luxuosa, aos arredores de Champs-Élysées).

Majestic, um hotel de luxo cujos porões foram palco de um brutal assassinato. Maigret, um astuto detetive de renome, que prefere resolver por si só o grande enigma: Quem foi o autor do crime? Isso, unido a personagens quase cômicos e uma trama repleta de reviravoltas, tornam-se elementos-chave para um romance de sucesso.

Simenon consegue, mesmo com uma breve história, entreter o leitor que busca um enredo inteligente e bem construído. Ele nos leva pelos olhos, mas não pela mente, de Maigret. Sendo assim, acompanhamos suas investigações sem nos ser revelado seu brilhante e peculiar raciocínio, que encaminham para a mais intrigante solução ao fim da história.

Uma trama rápida e apaixonante. Simenon usa uma dinâmica alucinante, tanto na descrição dos personagens quanto no encadeamento de eventos, que tornam a leitura instigante e prazerosa. Em um romance tão curto, temos a oportunidade de desvendarmos um crime totalmente imprevisível, cuja determinante vilã fora a ganância.


Companhia das Letras

Tradução: Eduardo Brandão

Brochura

152 páginas

13 cm X 20 cm

Onde encontrar:

Compre aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *